sexta-feira, 15 de outubro de 2010

"A solitude...!"

   

imagem aqui

"A Solitude é a sua Natureza" - Osho

O primeiro ponto a perceber é que, querendo ou não, você está sozinho. A solitude é a sua verdadeira natureza. Você pode tentar esquecê-la, tentar não ficar sozinho fazendo amigos, tendo amantes, misturando-se à multidão... Mas tudo o que você fizer fica apenas na superfície. No fundo de você, sua solitude é inatingível, intocável.

Um curioso fato acontece com todo ser humano: quando ele nasce, a própria situação de seu nascimento começa numa família. E não existe outra maneira, porque o recém-nascido humano é o recém-nascido mais frágil em toda a existência.

Outros animais nascem completos. O cachorro vai continuar sendo um cachorro durante toda a vida; ele não vai evoluir, não vai se desenvolver. Sim, ele ficará mais velho, mas não ficará mais inteligente, mais consciente, não se tornará iluminado.

Nesse sentido, todos os animais pertencem exatamente no ponto em que nasceram; nada de especial muda neles. A morte e o nascimento deles são horizontais — numa só linha.

Somente o ser humano tem a possibilidade de seguir na vertical, para cima, e não apenas na horizontal. Mas a maioria das pessoas se comporta como os outros animais: a vida é apenas um envelhecer, e não um amadurecer. Amadurecer e envelhecer são experiências totalmente diferentes.

O ser humano nasce numa família, entre seres humanos. Desde o primeiro momento, ele não está sozinho; portanto, ele adquire um certo padrão psicológico de sempre permanecer com pessoas. Em solitude, ele começa a ficar com medo... medos desconhecidos. Ele não está exatamente consciente do que está com medo, mas, quando ele se afasta da multidão, algo dentro dele fica pouco à vontade. Quando está com os outros, ele se sente aconchegado, à vontade, confortável.

Por essa razão, ele nunca vem a conhecer a beleza da solitude; o medo o impede. Por ter nascido num grupo, ele continua fazendo parte de um grupo. E, à medida que envelhece, começa a formar novos grupos, novas associações, novos amigos. As coletividades já existentes não o satisfazem — a nação, a religião, o partido político — e ele cria suas próprias novas associações, Rotary Club, Lions Club... Mas todas essas estratégias estão a serviço de um só objetivo: nunca ficar sozinho.

Toda a experiência de vida é a de conviver com outras pessoas. A solitude parece uma morte. De uma certa maneira, ela é uma morte, a morte da personalidade que você criou na multidão. Esse é um presente das outras pessoas para você. No momento em que você se afasta da multidão, também se afasta da sua personalidade.

Na multidão, você sabe exatamente quem você é; sabe seu nome, sua posição social, sua profissão, sabe tudo o que é necessário para o seu passaporte, para sua carteira de identidade. Mas, no momento em que você se afasta da multidão, qual é a sua identidade? Quem é você?

De repente, você fica consciente de que você não é seu nome — seu nome foi dado a você. Você não é sua raça — que relação tem a raça com a sua consciência? Seu coração não é hindu nem muçulmano, seu ser não está confinado à fronteira política de uma nação, sua consciência não é parte de alguma organização ou igreja. Quem é você?

De repente, sua personalidade começa a se dispersar. Este é o medo: a morte da personalidade. Agora você precisará começar a descobrir, precisará, pela primeira vez, perguntar quem você é. Você precisará começar a meditar sobre a questão, quem sou eu? — e existe o temor de que você possa não ser absolutamente nada! Talvez você não seja nada, mas uma combinação de todas as opiniões da multidão; nada, exceto sua personalidade.

Ninguém quer ser nada, ninguém quer ser ninguém e, na verdade, todo mundo é um ninguém.

Osho, em "Amor, Liberdade e Solitude: Uma Nova Visão Sobre os Relacionamentos"
fonte aqui

Bom fim de semana para você!
Beijos!

8 comentários:

  1. Gosto muito dos ensinamentos de Osho. Esse post está excelente.
    Bom dia!

    ResponderExcluir
  2. Este tema relacionamento é sempre bem vinda entre os casais novos. Estou com um aqui em casa esperando dia 31 para o casamento.
    Vou mostrar.
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto de Osho, taí uma grande verdade: "envelhecer não é amadurecer". Gostei! Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Lindos ensinamentos, voinha!!!

    Beijos dessa netinha que te amaa!!

    ResponderExcluir
  5. Osho sempre traz reflexões e ensinamentos expetaculares e vc fez ótima escolha trazendo esse texto aqui!!!


    http://meninacajuina.blogspot.com
    @Nanazudah

    ResponderExcluir
  6. Gosto dos textos do Osho, são sábios.

    Vim ver o que tinha na casa da vovó e gostei.

    Voltarei com mais tempo Rô.

    Fica aqui o convite para vc conhecer e caminhar junto comigo Pelos Caminhos da Vida, será um prazer te ver por lá.

    Bom fim de semana.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  7. Olá, RÔ querida
    Creio que a gente se dispersa porque fica muito distante dos valores essenciais. Pena!!!
    Passo também para agradecer a sua visita ao meu Blog, ofertar-lhe um selinho feito exclusivamente para meus seguidores pelas 30.000 visitas e dizer-lhe meu muito obrigada pelo carinho e amizade.
    Nosso trabalho honesto como blogueiro(a) engrandece o nome do nosso Criador.
    Tenha excelente fim de semana!!!
    Bjs

    ResponderExcluir

  8. Tenha uma semana radiante.
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails