sexta-feira, 30 de maio de 2008

BLOGAGEM COLETIVA - DIA MUNDIAL SEM TABACO -

BLOGAGEM COLETIVA
Iniciativa do Blog do Nando e do Blog da Nana

Crianças "maneiras" ajudam colegas a parar de fumar

Fazer com que os jovens mais populares falem aos seus colegas sobre os riscos de fumar pode cortar o número de estudantes que começam a fumar em 25% em comparação a outros métodos, de acordo com um novo estudo.

O estudo publicado na revista científica Lancet tomou uma abordagem incomum pedindo que as crianças nomeassem outros que viam como influentes ou como líderes para divulgar aspectos antitabaco.
Essa seleção promovida foi mais efetiva que os programas antitabaco tradicionais e reduziram bastante a chance de estudantes que começaram a fumar, disseram os pesquisadores.
O aspecto mais importante aprendido foi de que os jovens podem ajudar uns aos outros a evitar hábitos de vícios, disse Rona Campbell, pesquisadora da Universidade de Bristol, Inglaterra, que colaborou no estudo.
“Se o programa fosse implementado amplamente poderia cortar significantemente o recrutamento de novos fumantes”
Tabagismo é a causa mais comum de morte evitável no mundo causando doença cardíaca, diversos tipos de câncer, enfisema e outras doenças. Tanto o fumante como outras pessoas que inspiram a fumaça correm riscos.
O estudo britânico envolveu onze mil estudantes com idades entre 12 e 13 anos em 59 escolas inglesas das quais 29 foram selecionadas aleatoriamente para permanecer com os programas anti-tabaco normais enquanto as demais assumiram a nova técnica.
Foi solicitado para as crianças elegerem estudantes influentes que eram convidadas a participar de um treinamento sobre os riscos do cigarro e os benefícios de não começar a fumar.
O resultado foi significativo com 23% das crianças que participavam dos grupos com colegas “palestrantes” tendo menor chance de começar a fumar em um ano e 15% em dois anos em comparação com os programas tradicionais.
Isso poderia significar uma redução potencial de 43 mil novas crianças fumantes entre 14 e 15 anos, a cada ano.
Os danos do fumo levam anos para se acumular no organismo, por isso às pessoas que começam mais cedo tendem a ter mais problemas de saúde.
Fumar sempre foi um hábito social, mas os pesquisadores agora pensam que parar de fumar pode ser uma atividade social também.
Não é surpresa que as chances de você fumar são maiores se seus amigos também o fazem. Mas agora Nicholas Christakis da Escola de Medicina de Harvard e James Fowler da Universidade da Califórnia em San Diego, ambas as instituições situadas nos EUA, dizem que parar de fumar também é contagioso. Mesmo pessoas que não se conhecem, mas estão conectadas de alguma forma distante, tendem a parar de fumar ao mesmo tempo. “As pessoas tendem a parar de fumar em rebanhos e este evento coordenado é literalmente como um bando de pássaros mudando de direção”, disse Nicholas. “Portanto fumar não é um comportamento individual, mas sim um processo coletivo”.

Veja como funciona:

Nicholas e James seguiram a rede social de cinco mil indivíduos que estiveram envolvidos em um estudo maior pelo período de 32 anos. Os autores trabalharam cuidadosamente as relações entre os voluntários, muitos dos quais tinham ligação de parentesco, social ou profissional. Em seguida eles sobrepuseram nesta rede o número de cigarros que cada pessoa fumava por dia.
Em 1971, quando o estudo começou, tanto os fumantes como os não fumantes tinham a mesma chance de estar no centro dos seus “nós” de relações sociais. Em 2000, no entanto, o número de não-fumantes não apenas superava o de fumantes, em todas as faixas etárias, mas eles também tinham empurrado os fumantes para a margem de quaisquer redes às quais eles pertenciam. Os fumantes então não estavam mais conectados a tantas outras pessoas. Tal marginalização, diz Nicholas, reflete a nova percepção pela rede como um todo que fumar não é mais desejável. “Isto mostra que nossos comportamentos relacionados à saúde não são afetados apenas pelos nossos amigos, mas pelo amigo do amigo do amigo, porque os comportamentos em uma rede se transmitem em cascata”, ele disse::-
Quando uma pessoa (iremos chamá-la de caso índice) pára de fumar, seus contatos mais próximos como amigos e familiares passam a ter 36% a menos de serem fumantes também. Esse pessoal então influencia seus próprios círculos sociais, e assim por diante, até que pessoas diversos degraus distantes do caso índice também param de fumar. No estudo, mesmo pessoas que não se identificavam mutuamente como amigas, mas estavam na mesma rede social, foram afetadas pelo comportamento uma da outra: as pessoas que se rotulavam de amigos do caso índice, por exemplo, mas não eram identificadas pelo voluntário índice como amigos, também tinham 20% menos chance de fumar se o caso índice decidisse parar.

Este efeito propagador entre grupos sociais pode parecem bastante óbvio — as pessoas, naturalmente, olham para seus amigos para descobrir o que é socialmente aceitável — mas Nicholas observa que o escopo e tamanho das redes nas quais estes efeitos operam é muito maior do que se pensava anteriormente. Sua pesquisa, por exemplo, mostra que a distância geográfica entre indivíduos na rede não parece enfraquecer as influências comportamentais. Isso significa que programas de tratamento e prevenção sobre hábitos de saúde como parar de fumar, perder peso e fazer exercícios podem se tornar mais eficientes ao tomar a vantagem do efeito na rede. “A propriedade admirável das redes sociais é que elas multiplicam o que se semeia nelas, portanto se você semeia um programa anti-fumo, você irá colher o poder multiplicativo nos resultados.” No que tange a tornar-se mais saudável como nação, é importante dominar uma povoação primeiramente, uma que seja bem conectada.

Fonte de informação::-http://hypescience.com/

O difícil adeus ao cigarro
testemunho

Por::- Rubens Szterling

Com força de vontade e tratamento adequado para cada tipo de fumante, é possível vencer o vício !!!!!! .Deixei o vicio tabagico ha 5 anos e meio. Eu me considero um vitorioso porque adorava o cigarro. Hoje, chego a pensar o quanto perdi de area pulmonar, irreversivel, preparo fisico, memoria e outros ... . No Brasil temos 40 milhões de fumantes. Este numero é alto, mas este número vem caindo. O volume de cigarros queimados no país caiu 32% em dez anos (1. 979 X 1. 989), e uma pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) descobriu que 21,4% dos resdidentes no Rio de Janeiro, fuma, contra 29,8% em 1989. Os dados demonstram que a política antitabagista do governo começa a dar resultados. No ano passado o Brasil, recebeu um prêmio da Organização Mundial da Saúde (OMS) por seu empenho nas negociações do tratado mundial Anti - tabaco. Aprovado no fim de maio passado por 171 países, o documento prevê uma guerra contra a indústria do fumo, com medidas como a abolição quase total de propaganda de cigarro em cinco anos e taxações e financiamento para levar os plantadores de tabaco a mudar de negócio. Entende-se o esforço. Deixar de fumar é um desafio que poucos conseguem vencer ( 1 % talvez ). Segundo um estudo publicado pela revista New Scientist, 85% dos que param voltam a dar suas baforadas depois de um ano. Alguns recaem antes. Só 1% conseguem, de fato, abandonar o vício. Quem procura ajuda médica, com auxilio medicamentoso e com terapia aumenta a chance de sucesso para 20%. O Brasil é um dos recordistas em motivação para largar o tabagismo. Estima - se que os brasileiros, 81% dos fumantes querem parar. É um porcentual só comparável ao dos suecos, com 85%. Mas o índice de tentativas frustradas entre os brasileiros é igualmente alto: o fumante brasileiro chegar entre 5 a 7 vezes a tentativa de deixar o vicio, em média - sem sucesso. Difícil é, mas vale a pena. O tabaco causa 50 tipos de doença. As mortes anuais em virtude de seu uso chegam a 5 milhões no mundo, 200 mil no Brasil. "Já tomei a decisão de parar, porque quero ver meus filhos crescer.A dependência começa após as primeiras tragadas, devido a causas físicas. quimicas e psicológicas. "A nicotina faz o cérebro liberar substâncias que provocam uma grande sensação de prazer, diminuem a ansiedade e a fome e aumentam a concentração e a memória", comenta a psiquiatra Maria Madalena Pizzaia, coordenadora do ambulatório de tabagismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Já existem remédios - tanto os anti-depressivos como os repositores de nicotina - que combatem a falta desses efeitos desagradáveis em quem pára de fumar. Ela explica que a diferença entre o sucesso e o fracasso na empreitada contra a fumaça pode ser o estado emocional, em minha experiencia 99% ou até mais. Ter muita vontade e escolher o momento apropriado são fatores importantes, porem a regra sempre, salvo raríssimas excessões é:
sempre este é o ultimo cigarro
este é ultimo maço
paro na 2 feira
somente este final de semana
somente este e paro
foi somente este cigarro na reunião
um só não faz mal
A cardiologista Jaqueline Issa, coordenadora do ambulatório de tabagismo do Instituto do Coração de São Paulo (Incor), lançou o livro Fumar É Gostoso… Parar É ainda Melhor, um manual de auto-ajuda baseado em sua experiência clínica. Segundo ela, se usar o medicamento adequado considerando seu perfil, na dose correta, o ex-fumante não sofrerá os sintomas da abstinência. "Se, além do tratamento, ele consegue enfrentar aquelas situações em que sempre fumava, acabará conseguindo", afirma. O Brasil tem 40 milhões de fumantes. 85% querem parar, mas só 1% conseguem, de fato, abandonar o cigarro.
Quem fuma para reduzir a tensão, por exemplo, precisa de um Anti - depressivo e atividades que diminuam o estresse, como ioga, natação, ginástica, enfim qualquer atividade física para substituir o maldito vício. Se o que importa é segurar o cigarro, o tratamento pode ser apenas manter as mãos ocupadas com outras coisas. O sexo também influencia. "O vício é mais químico nos homens e pende para o psicológico nas mulheres", diz Jaqueline Issa, que fez um estudo acompanhando 100 fumantes durante três anos. Além de usar o cigarro como bengala emocional, a mulher teme engordar. No grupo estudado, as ex-fumantes ganharam, em média, 7 quilos para mais, no meu caso aproximadamente 15 kilos.
Pesquisas revelam que, embora pareça chato, um dos pontos mais importantes para fazer alguém parar de fumar é o incentivo dos familiares. A meu modo de ver, este e o ponto chave e primordial. Sem a ajuda e compreensão mde seus familiares, torna-se mais dificil de executar - se esta árdua tarefa, pois voce si sente sozinho e esta perdendo seu grande amigo de todas as horas, felizes, e infelizes, o cigarro ! A chave do sucesso é a persistencia, entender o mal que o cigarro faz, a dificuldade em pratica desportiva ... . Tania Cavalcante, chefe da divisão de controle do tabagismo do Instituto Nacional do Câncer, explica que pressionar e cobrar não funciona, foi o meu caso, voce volta ao fumo, escondido como criança, si lava quando vai para casa, usa perfumes para abolir o cheiro do cigarro "O melhor método para ajudar um parente a parar é mostrar que todos gostam muito dele, e tem interesse em que ele pare de fumar, não cobrando o assiduamente, dando apoio moral e acompanhando o em todos os momentos. As crises de abstinência são tristes, no meu caso tive três, a primeira achei que meu carro era maior que um onibus, a segunda tinha certeza que o espelho retrovisor de meu carro estava de mais, a terceira achei que o pilar da garagem não deveria estar alí, sai com o carro para retira-lo, e lá si foi mais em espelho retrovisor. Se voce decididamente resolveu abandonar o vício, a estratégia muda. "Voce fica irritado (o), então é preciso ter compreensão e fugir dos conflitos." Quando um membro do grupo familiar abandona o cigarro, freqüentemente faz com que outros o sigam. Além de abanar a mão diante do nariz em gesto de desgosto, como costumam fazer as crianças pequenas, recomenda-se aos parentes dos fumantes que não acendam o cigarro diante de quem está lutando contra a dependência. A provocação é um dos comportamentos que mais estimulam a volta ao tabaco. "É comum que o filho adolescente ofereça cigarro ao pai que parou de fumar. Claro, chega uma hora que ele não agüenta". Preocupação com a família é o principal motivo alegado por homens e mulheres para entrar no time dos ex-fumantes. Ninguém quer dar mau exemplo ou transformar as crianças em fumantes passivas. Tomei remédio, usei adesivos, goma de mascar, fiz acumpuntura de todos os tipos, até conseguir parar. É uma vitória para quem, um dia fumou quatro a cinco maços por dia !, durante 37 anos.O momento é propício. Afinal, o fumante no mundo todo está sob fogo cerrado. Em Nova York, o fumo acaba de ser vetado em bares e restaurantes. No Brasil, 66% dos fumantes fazem sua fumacinha nesses lugares. Mais da metade conta que apaga o cigarro ou sai do recinto quando alguém se mostra incomodado. Ao contrário do que alguns imaginam, medidas radicais surtem efeito. Segundo uma pesquisa da OMS, restrições no ambiente de trabalho nos Estados Unidos levaram 51% dos americanos a parar. Com a censura em casa, o índice pula para 72%.
Por isso, personalidades já escondem sua condição de fumantes. Assim como Rita Camata, a primeira-dama Marisa Letícia evita ser flagrada com um cigarro. São raros casos como o do ministro Ciro Gomes, que nunca escondeu seu costume de menino - nem mesmo quando a namorada, Patrícia Pillar, também fumante, descobriu que tinha câncer. Para a mulher grávida, o hábito, comprovadamente prejudicial ao bebê, é considerado nefasto. Quem não consegue parar mal pode dormir tamanho é o sentimento de culpa. "Meu maior remorso na vida é ter fumado na gravidez", confessa a psicóloga carioca Elys Chargel, de 45 anos. O filho Gabriel está com 7 e não teve problemas ao nascer. Mas acabou cultivando uma rinite alérgica. A doença sumiu depois que a mãe parou de fumar.

O CONSUMO DE CIGARRO NO BRASIL

De acordo com o Banco Mundial, o consumo do fumo gera uma perda mundial de 200 bilhões de dólares por ano. Esta perda é causada por diversos fatores, como sobrecarga do sistema de saúde com tratamento das doenças causadas pelo fumo, mortes precoces de cidadãos em idade produtiva, maior índice de aposentadoria precoce, aumento de 33% a 45% no índice de faltas ao trabalho, menor rendimento no trabalho, mais gastos com seguros mais gastos com limpeza, manutenção de equipamentos e reposição de mobiliários, maiores perdas com incêndios e redução da qualidade de vida do fumante e de sua família. Mesmo assim, a receita proveniente da taxação do tabaco, a geração de empregos e as exportações são argumentos empregados pela indústria fumageira no seu lobby econômico para convencer as instâncias governamentais da importância da indústria do fumo para a economia do país, o que, é claro, acaba por dificultar as ações de controle do tabagismo. O recolhimento de impostos que incidem sobre o cigarro é muito significativo para a economia do país, mas os prejuízos decorrentes do tabagismo superam qualquer questionamento puramente econômico. O Brasil taxa, atualmente, o maço de cigarro em 74%, enquanto outros países. CONTINUA
Para sua maior informação tenha sempre os seguintes endereços abaixo::-










Neste Site você verá as novas imagens que sairam nas carteiras de cigarro.






Publico meu post no dia de hoje, em razão de ter um compromisso no dia de amanhã(aniversário de meu amado esposo o Vovó Barba e do meu Nandinho,papai do Mateus meu netinho),então a vovó Rõ estará nos preparativos do jantar surpresa que estou a preparar para os dois.

Peço disculpas ao Nandinho e a Nana, mas não será possível faze-lo no dia de amanhã.

Que Deus abençoe a todos que participarem dessa maravilhosa iniciativa.

17 comentários:

  1. Parabens, vovó RÔ, MUITO BEM POSTADO,
    corretissima, como sempre, mas fazer o que diante do vício, a não ser entregar nas mãos de DEUS, pois está mesmo provado que torna se uma doença e que o homem não compreendeu o quao dificil é abandonar este vicio do tabagismo, terapias, medicações, grupos organizados, igrejas, tudo em busca da soluções, mas apavorada fico com a displicencia do governo, que coloca na Ministerio da Saude, um valor exorbitante pra cura dos fumantes cronicos,possibilitando a abertura de mais fábricas de cigarros alem dos que entram em contrabando. Nós familias fazemos a nossa parte mas a ditatura social aponta rumos tragicos á nação adolescente, que sejamos orientados á fazer a prevençao, a esta droga, assim já considerada,

    ResponderExcluir
  2. Meus parabéns pela postagem tao completa. Acredito que de todos os participantes você será a pessoa que mais terá se aprofundado no assunto com fato e imagens. Muito bom mesmo.

    O que mais me dói é que criancas comecam a fumar sem nem saber o porquê e as causas do depois.

    Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  3. Fumar é problema grande. No Brasil houve alguns avanços, aqui na Aleamnha as coisas começaram a mudar, graças a deus. E eles fumam muito. Ah falei mais um pouco da minha vida na Alemanha e minhas impressões lembrei de ti, que tem um filho que vem passar umas férias aqui não é mesmo? Bjks e bom findi!

    ResponderExcluir
  4. Quanta informação!
    Parabéns Rô.
    Amanhã passa lá em casa para pegar um mimo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Parar de fumar não nada facil é preciso muita força de vontade. Parabéns por participar da blogagem.

    ResponderExcluir
  6. Oi Rô!

    Muito legal seu post. Não fumo, nunca fumei e acho terrível o cigarro. Mas imagino o quanto deve ser difícil parar, para quem já possui esse vício. Existe a dependência física e a psicológica também e inúmeras são as justificativas para quem começa e as desculpas para quem não deixa de fumar, mas é preciso ter muita força de vontade. Em primeiro lugar deve vir a consciência do quanto isso faz mal, depois admitir que precisa parar.

    Espero que tudo corra bem no aniversário! Felicidades!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  7. Rô , você é uma mulher arrojada.
    Lembro constantemente de você.
    (Jorge Serrão)
    Foi imensamente gentil, solidária me estendendo a mão.

    Amei sua postagem.
    Sou sua fã!
    Uma beijoca!
    Eliana

    ResponderExcluir
  8. Olá Rô!
    Já meio que nos conhecemos dos blogs do Nando, da Drica e da Du... Sempre vejo seus comentários.
    Muito obrigado mesmo pela sua contribuição, links bem interessantes, bastante informativo, e esse depoimento foi ótimo.
    Mais uma vez, Obrigado!
    Aproveite o FDS com a família... Beijinhos ;]

    ResponderExcluir
  9. Oi Rô.Tb faço parte dessa blogagem coletiva contra o tabagismo. Parabéns por uma abordagem tão completa.
    Big Beijos

    ResponderExcluir
  10. Fumar está completamente fora de moda, não? Precisamos apagar essa idéia! Muito bom o seu post! Também aderi à campanha! Bjks e bom domingo. Tetê :)

    ResponderExcluir
  11. Rô, o seu post ficou perfeito, completo mesmo! O depoimento foi forte! Valeu, parabéns!
    Beijão

    ResponderExcluir
  12. Ótimo post, vovó Rô, quanto mais informação melhor ..
    Muito obrigado pela sua participação na Campanha, cumprimos a missão !!
    Abração e até logo !!

    ResponderExcluir
  13. Acho um vício horrivel... e como sou alérgica, eu fujo de fumantes.

    Com tantas campanhas e informações, muitas pessoas não ligam e começam a fumar achando que podem parar quando quiser... qualquer vício é difícil de parar..

    Parabéns pelas informações, agora é torcer para dar bons frutos ;)

    Beijinhos e um feliz domingo

    ResponderExcluir
  14. As campanhas de conscientização dos jovens, fazendo com que aqueles que exercem liderança nata possam ser influenciadores dos demais é muito interessante e efetiva. Agora é questão de continuar batendo na mesma tecla, mas também de atacar diretamente o causador de tantos males: as indústrias! O nosso Governo precisa ser pressionado nesse sentido!

    Rô, parabéns pela participação e pela matéria rica e instrutiva!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. olá.

    Nossa quanta coisa....
    olha não posso negar que meu coração ficou aliviado.
    Eu como uma ex-fumante inveterada, me senti feliz, ao ver todo mal que largeui pra trás.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  16. Olá Rô, quando criança meu pai pedia para pegar o cigarro para ele, eu pegava... achava até legal... Meu pai e mãe fumaram quase a vida toda, hoje não tenho mais o pai, e minha mãe tem varios problemas de saude.
    Adorei seu post.
    bjs

    ResponderExcluir
  17. Rô, achei lá na Luma um video que muito me impressionou.
    Passe por lá para vê-lo.

    http://luzdeluma.blogspot.com/

    Sao criancas de 5, 8 anos que estao trabalhando na colheita do fumo. Criancas que nao pediram para fumar, mas estao lá com a mao naquele veneno. As criancas contam que por trabalharem lá elas vomitam quando chegam em casa por causa do cheiro muito muito forte. E tudo isso para quê? Para que você venha a fumar o seu cigarro todos os dias?
    Vai lá ver o video. Talvez ele lhe traga forcas diárias para nao fumar mais. Ouca a vozinha daquela crianca dizendo que nao sabe o que é brincar. Nao queira ser responsável por incentivar toda essa fábrica de veneno na vida daquelas criancas que estao lá.

    Torcendo por você, te desejo uma boa semana

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails