sexta-feira, 5 de março de 2010

- " BLOGAGEM - MEU OSCAR VAI..." -

oscar-1


Meu Oscar vai para...




.

... E o vento levou

Filme que devo ter assistido pelo menos uma dezena de vezes quando era jovem e cursava o cientifico na época,  hoje seria o mesmo que o Colegial (creio eu). Tudo mudou de lá para cá, mas a história de
Scarlett O’Hara e Rhett Buttler continua eternezida. A trilha sonora é de arrepiar. Desligue meu som e e escute essa maravilha eterna.
Alguns podem até dizer que esse filme é muito cansativo, mas eu sou fã incondicional dele. Tenho o DVD em casa e creiam, virou mexeu lá estou na frente da TV, para novamente me matar chorar e rir ao mesmo tampo com ele.

A história::..

... E o Vento Levou

Há sete décadas começavam as filmagens do mais bem sucedido dos filmes feito pelo cinema, “... E o Vento Levou(Gone With The Wind), monumental obra de um dos mais célebres produtores da época de ouro de Hollywood, David O. Selznick, o fabricante de sonhos. De um esplendor mítico, trazendo uma beleza fotográfica avançada para a época, uma trilha sonora que se tornou parte dos clássicos do cinema, um elenco carismático e interpretações inesquecíveis; “... E o Vento Levou” é o filme que mais tempo demorou a ser exibido na televisão, e um dos poucos que ainda hoje obtém lucro ao ser exibido.
Baseado no romance homônimo da escritora Margaret Mitchell, escrito entre 1926 e 1929, o filme traz a história da saga da voluntariosa Scarlett O’Hara (Vivien Leigh), filha de um rico fazendeiro do sul dos Estados Unidos. Mimada e atrevida, Scarlett vive na fazenda do pai, a sonhar com o amor de Ashley Wilkes (Leslie Howard), que se casa com a doce Melanie Hamilton (Olivia de Havilland). É através desse amor platônico que ela encontra forças para enfrentar uma guerra civil, que leva a família à ruína. Por dez anos Scarlett O’Hara segue a sua paixão, sobrevive à guerra, mente, trai, casa-se três vezes para fugir à miséria. Na trajetória, envolve-se com o cínico Rhett Buttler, homem audaz, único que lhe conhece a verdadeira essência. É nas nuances do casal Scarlett e Buttler que se constrói um dos mais belos romances do cinema, numa arrebatadora história que prende gerações, sem nunca perder a grandiosidade de épico, construindo o maior filme feito pelo cinema americano.
Vivien Leigh vive uma inesquecível Scarlett O’Hara, a força que traz ao falar com os olhos, dá a intensidade perfeita à personagem. Mais de 1400 atrizes foram entrevistadas para viver o papel e cerca de 400 chegaram a fazer a leitura do roteiro. A procura pela atriz que daria rosto e corpo a Scarlett O’Hara ainda não tinha chegado ao fim, e as filmagens foram iniciadas. Sem saber quem seria a protagonista, a primeira cena do filme foi feita, trazia um grande incêndio em Atlanta, com 113 minutos rodados. Para produzir a cena que se tornaria antológica, foi posto fogo em cenários de filmes antigos da MGM (como os da primeira versão de King Kong). O incêndio foi tão intenso, que vizinhos do estúdio pensaram que ele estava pegando fogo, acionando os bombeiros. Assim, no dia 26 de janeiro de 1939, sob um grande incêndio, iniciava-se a saga daquele que seria considerado o mais grandioso de todos os filmes de Hollywood. 70 anos depois, “... E o Vento Levou” nada perdeu do seu glamour épico, muito menos a sua capacidade de conquistar um público que, mesmo diante das quatro horas da duração do filme, não se deixa cansar, fascinando-se com a sua beleza narrativa.

Ficha Técnica:

... E o Vento Levou

Direção: Victor Fleming
Ano: 1939
País: Estados Unidos
Gênero: Drama
Duração: 241 minutos / cor
Título Original: Gone With The Wind
Roteiro: Sidney Howard, baseado no livro de Margaret Mitchell
Produção: David O. Selznick
Música: Max Steiner
Direção de Fotografia: Ernest Haller e Ray Rennahan
Desenho de Produção: William Cameron Menzies
Direção de Arte: Lyle R. Wheeler
Figurino: Walter Plunkett
Edição: Hal C. Kern
Estúdio: Selznick International Pictures
Distribuição: MGM
Elenco: Clark Gable, Vivien Leigh, Leslie Howard, Olivia de Havilland, Hattie McDaniel, Thomas Mitchell, Barbara O’Neil, Evelyn Keys, Ann Rutherford, George Reeves, Fred Crane, Butterfly McQueen, Victor Jory, Everett Brown, Howard C. Hickman, Alicia Rhett, Rand Brooks, Carrol Nye
Sinopse: Uma reunião social acontece numa grande plantação na Georgia, Tara, cujo dono é Gerald O'Hara (Thomas Mitchell), um imigrante irlandês. Na mansão está Scarlett (Vivien Leigh), sua bela e teimosa filha adolescente. Scarlett ama obsessivamente Ashley (Leslie Howard), o primogênito do patriarca de Twelve Oaks. Ashley está comprometido com Melanie Hamilton (Olívia de Havilland). Scarlett acha a vida em Tara monótona, mas seu pai diz que Tara é uma herança inestimável, pois só a terra é um bem que dura para sempre. Ela revela um inapropriado comportamento nas festas, apesar das objeções de Mammy (Hattie McDowell), sua protetora escrava. Em Twelve Oaks Scarlett é o centro das atenções, em razão dos vários pretendentes que lhe ladeiam. Mais tarde Scarlett ouve os cavalheiros discutindo acaloradamente sobre a guerra eminente que acontecerá entre o norte e o sul, crendo que derrotarão em meses os ianques. Só Rhett Buttler (Clark Gable), um aventureiro que tem o hábito de ser franco, não concorda com estas declarações movidas mais pelo orgulho do que pela lógica. Um jovem, Charles Hamilton (Rand Brooks), sentindo-se insultado, tenta desafiar Rhett para um duelo, mas ele se esquiva. Scarlett procura Ashley, declarando-se a ele. Ashley diz que ama Melanie, entretanto admite que ama Scarlett fraternalmente. Ela fica irritada, esbofeteando-o. Ashley deixa a biblioteca. Ela lança um vaso contra a lareira e descobre que atrás de um sofá estava Rhett. Quando Scarlett lhe diz que não é um cavalheiro, Rhett retruca dizendo que ela não é uma dama. Rhett fica atraído pela beleza de Scarlett. Em Twelve Oaks chega um cavaleiro, para dizer que a guerra começou. Charles vai dizer a Scarlett que a guerra foi declarada, com todos os homens indo se alistar. Enquanto via Ashley se despedir de Melanie, Scarlett ouve Charles lhe pedir em casamento. Movida pela mágoa, ela aceita e diz que quer casar antes que ele parta. Melanie e Ashley casam-se num dia e Scarlett e Charles no outro. O que Scarlett desconhecia é que o futuro lhe reservava dias muito mais amargos, pois durante a Guerra Civil Americana, várias fortunas e famílias seriam destruídas.

Fonte aqui
 

 Mulher de fibra que lutou com garra por sua família e suas terras
 E pensar que dentre mais de 1400 mulheres essa linda e maravilhosa mulher foi a escolhida
 

A cena em ela faz esse maravilhoso vestido, arrancando os restos das cortinas de sua casa é hilária.
 
Apesar do Protagonista da história Rhett Buttler vivido por  Clark Gable que é um dos meus preferidos ser um belo canastrão e pela lindíssima  Scarlett protagonizada por Vivien Leigh, uma menina arrogante e mimada como diz minha Hevy (filha minha), que assistiui e comprou o DVD e não gostou dela..."MÃE ESSA GAROTA É UMA CAKA DE PESSOA" assim disse a Hevy, creio que aos que puderem assistir eu recomendo é um ótimo e belíssimo filme, bem por isso foi o ganhador do OSCAR  em 1940 e está aí ganhando direitos até nos dias de hoje.
Espero que gostem assistam!

Beijos para querida amiga VANESSA DO BLOG FIO DE ARIADINE.
Parabéns pela iniciativa e parabéns a todos os participantes.
Me arrisco  indicar AVATAR mas também gostei dos comentários de GUERRA AO TERROR ainda não assisti mas tenho acompanhado pela mídia.

Cenas de 'Avatar' (esq.) e 'Guerra ao Terror', os principais indicados da Academia. Fotos: Divulgação
leia mais aqui

Os dez indicados são::..

Dez filmes receberam indicações de melhor filme, incluindo “Avatar” de Cameron, “Guerra ao Terror” de Bigelow, “Bastardos inglórios” de Quentin Tarantino, “Um sonho possível”, o thriller de ficção científica “Distrito 9”, o inglês “Educação”, a comédia de humor negro “A Serious Man”, “Preciosa”, “Up – Altas Aventuras” e “ Amor sem Escalas”.
 
MAIS, LEIA  AQUI
 
 
 
PREPAREM A PIPOCA E TORÇAM PELO SEU PREFERIDO

 
 
 
 
 
Beijos de bom e maravilhoso dia para você!
Rosane!



7 comentários:

  1. M de Mulher!

    Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.
    Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
    Madalenas ou Marias.

    Marinas ou Madonas.
    Elas são Manhãs e Madrugadas.
    Mártires e Massacradas.
    Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.
    Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.
    E são Marinheiras e Magníficas.
    Mimam Mascotes.
    Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.
    Marcam suas Mudanças.
    Momentâneas ou Milenares, Mudas ou Murmurantes,
    Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas,
    Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,
    Manicures, Maiores, Menores, Madrastas,
    Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,
    Melodiosas, Modernas, Magrinhas.
    São Músicas, Misturas, Mármore e Minério.
    Merecem Mundos e não Migalhas.
    Merecem Medalhas.
    São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.

    (texto tirado da nte).

    FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  2. Rô, muito obrigada pela participação tão caprichada. Também estou achando que Avatar leva a estatueta.

    beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Rô,

    Parabéns pela visita.

    Sou trintão, mas também já vi esse filme várias vezes. Não apenas o enredo é apaixonante, mas também a fotografia, aliás, o filme como um todo é ótimo.

    Beijão e um bom final de semana pra você.

    ResponderExcluir
  4. Eu quero torcer.
    Ma adoro ver depois os filmes que ganharam
    Também vi O vento levou.
    Era uma epoca de muito romantismo
    Mas vi também Sissi, DR Jivago, Dio come te amo e outros...
    Com carinho Monica

    ResponderExcluir
  5. Também adoro esse filme! =)
    Dei de presente o DVD para a minha mãe, ela tem a idade do filme, nasceu em 1939.
    Não me canso de ver também!
    Linda escolha!
    Beijos Tempestuosos!

    ResponderExcluir
  6. Olá Rô,
    ótima escolha.
    Este filme é lindo demais e o assisti umas cinco vezes.
    Embora ache que vai dar Avatar, estou torcendo por Bastardos Inglórios, amo Tarantino.
    Belíssimo teu post.
    venha ver o meu em
    http://andreia-devaneios.blogspot.com/2010/03/blog-post_6555.html
    Beijo na alma querida, que seu Domingo seja só de glórias...

    ResponderExcluir
  7. um clássico que permanece no inconsciente coletivo até hoje.

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails