sábado, 19 de março de 2011

"Aprendendo a "Oração perpétua de Jesus" - Agradecimento ao mimo -



Não me perguntem como cheguei ao  pequenino livro "RELATOS DE UM PERGRINO RUSSO " que contem 143 páginas apenas.Só sei que cheguei.
Sei que ando em processo de deserto interior, onde não consigo encontrar a água que vai saciar  a sede que me de as respostas para minhas provações. Mas sei também que encontrei nesse livro., que é considerado um clássico da vida espiritual. Foi escrita por um monge russo anônimo do século XIX que aparentemente um leigo que recolheu em de relatos de viagem as lições mais fundamentais da espiritualidade do povo russo. (contra capa do livro).
A cada página lida despertou em mim uma profunda vontade  assim como a dele de  seguir em frente ao estudo mais profundo da Palavra de Deus e mais que tudo sobre a Oração de Jesus ou a Oração perpétua .
E o que é a Oração Perpétua?
Essa oração se exprime pelas palavras:- "Senhor Jesus Cristo, tende piedade de mim!". Aquele que se habitua a essa invocação sente uma grande consolação e a necessidade de rezar sempre essa oração; depois de algum tempo, ele não pode passar sem ela e por si mesma a oração brota nele. 
No livro ele também nos indica um outro livro que nos ensina como se aprende a rezar melhor a Oração Perpétua. Chama-se FILOCALIA , que encontramos  pela Ed. Paulus com no me de PEQUENA FILOCALIA. esse ainda vou comprar e com urgência.
E segundo o Catecismo da Igreja Católica  no texto abaixo essa é uma oração que nos leva ao maior entendimento interior de nossas perguntas para  obter as respostas que tanto queremos e necessitamos. Só de estarmos em constante oração apenas invocando seu santo nome "JESUS TEM PIEDADE DE MIM", logo descobrimos essas respostas.


CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA:
2666. Mas o nome que tudo encerra é o que o Filho de Deus recebe na sua encarnação: JESUS. O nome divino é indizível para lábios humanos mas, ao assumir a nossa humanidade, o Verbo de Deus comunica-no-lo e nós podemos invocá-lo: «Jesus», « YHWH salva» . O nome de Jesus contém tudo: Deus e o homem e toda a economia da criação e da salvação. Rezar «Jesus» é invocá-Lo, chamá-Lo a nós. O seu nome é o único que contém a presença que significa. Jesus é o Ressuscitado, e todo aquele que invocar o seu nome, acolhe o Filho de Deus que o amou e por ele Se entregou.
2667. Esta invocação de fé tão simples foi desenvolvida na tradição da oração sob as mais variadas formas, tanto no Oriente como no Ocidente. A formulação mais habitual, transmitida pelos espirituais do Sinai, da Síria e de Athos, é a invocação: «Jesus, Cristo, Filho de Deus, Senhor, tende piedade de nós, pecadores!». Ela conjuga o hino cristológico de Fl 2, 6-11 com a invocação do publicano e dos mendigos da luz (14). Por ela, o coração sintoniza com a miséria dos homens e com a misericórdia do seu Salvador.
2668. A invocação do santo Nome de Jesus é o caminho mais simples da oração contínua. Muitas vezes repetida por um coração humildemente atento, não se dispersa num «mar de palavras», mas «guarda a Palavra e produz fruto pela constância». E é possível «em todo o tempo», porque não constitui uma ocupação a par de outra, mas é a ocupação única, a de amar a Deus, que anima e transfigura toda a acção em Cristo Jesus.



Sobre a Oração de Jesus (São Teófano, o Recluso)
 
Desde tempos imemoriavelmente antigos, Cristãos fervorosos repetiam curtas invocações a Deus para que orassem incessantemente e afastassem pensamentos errantes ociosos. Estas eram várias orações. São Cassiano disse que no Egito todos os Cristãos dizem: "Ó Deus, me ajude, ó Senhor, concede-me Teu auxílio." São Ioanício repetia constantemente: "Minha esperança é o Pai, meu refúgio, o Filho, minha proteção, o Espírito Santo; Santíssima Trindade, glória a Ti." Outra pessoa disse: "Como homem pequei, mas Tu, como Deus misericordioso, tem piedade de mim."
Certamente havia também outras orações curtas similares. Com o tempo, a oração de Jesus se estabeleceu e se tornou amplamente usada por todos: "Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, um pecador." O objetivo desta oração é o mesmo das outras: manter a mente voltada para Deus. Ao mesmo tempo, deve-se lembrar que dizer a oração de Jesus é apenas uma ferramenta ou obra que demonstra um forte desejo de encontrar o Senhor.
Todos se beneficiarão dizendo a oração de Jesus. Aqueles que integram as ordens monásticas devem repeti-la o tempo todo. Portanto não há perigo algum na oração em si, se é dita com reverência. No entanto, o que é perigoso é o "trabalho artístico" (isto é, alguns truques artificiais) inventados para acompanhar esta oração. Por exemplo, enquanto dizem a oração de Jesus, algumas pessoas colocam sua mão sobre a mesa e concentram sua atenção debaixo de seu dedos - isto é uma esquisitice inconsistente. Ou então, eis aqui outro capricho: tocar o dedo da sua mão direita contra a palma da sua mão esquerda e assim tentar concentrar a mente na oração.
A primeira pessoa a escrever sobre a execução "artística" da oração de Jesus foi São Gregório do Sinai, no século XIII... Foram estes truques que afundaram algumas pessoas em um estado delirante de encantamento, enquanto outras, por mais estranho que pareça, em um estado constante de luxúria. É por isso que estes truques devem ser reprovados e condenados absolutamente. E devemos urgir a todos a ensinar todas as pessoas a aclamar o dulcíssimo nome do Senhor de um modo simples e sincero.
A essência da oração é fácil de explicar. Faça com que seu coração e sua mente se apresentem diante do Senhor e supliquem a Ele: "Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, um pecador." Esta será a sua obra de oração. O Senhor verá quem ora piedosamente e concederá à pessoa que ora uma oração espiritual de acordo com seu zelo. Esta oração espiritual é na verdade o fruto da graça do Espírito Santo. Isto é tudo que precisamos dizer sobre a oração de Jesus. Todo o resto que foi inventado nada tem a ver com ela: é o Inimigo que está tentando nos distrair da oração.

Conclusão
Portanto, a essência da oração consiste em dirigir-se a Deus com atenção e suplicar a Ele com um sentimento caloroso e sincero - quer você esteja expressando sua gratidão, arrependimento ou alguma outra coisa em sua oração. Se não houver tal sentimento, então não há oração verdadeira.
De modo a aprender a rezar, reze com mais freqüência e mais zelo e aprenderá: não precisará de mais nada. Se trabalhar duro e com paciência, com o tempo adquirirá a habilidade de orar sem cessar. Faça disso o seu objetivo - buscar e buscar. O Senhor está perto de você. Mantenha Deus sempre na sua mente e tente sempre ver o Senhor diante de si e venerá-Lo.
Quando pensamentos perturbadores vierem até você durante a oração, afaste-os; se eles persistirem, expulse-os novamente... e seja desta maneira em tudo. Esta é uma obra de sobriedade. Esforce-se a manter no seu coração um espírito religioso. Quando seu coração é dominado por um sentimento, pensamentos vãos não o perturbam.
Quando começamos a escrever, isso acontece com esforço e com o desejo de realizar uma obra corretamente. Da memsa forma devemos aprender a orar através do esforço e da persistência. Uma oração não virá por si mesma, você precisa aprendê-la, como que se sua alma fosse aquecer-se ao esfregá-la. Quando o calor vier, seus pensamentos se acalmarão, e sua oração se tornará pura. Tudo vem através da graça de Deus. É por isso que precisamos orar ao Senhor para que Ele nos conceda a oração.
No que diz respeito à regra de oração, você pode escolher qualquer uma delas, desde que esteja mantendo sua alma em reverência a Deus.
Seria bom se acostumar a suplicar a Deus com orações curtas durante o dia. A principal oração dentre todas elas é a oração de Jesus, "Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem piedade de mim, um pecador." Aprenda as 24 orações da São João Crisóstomo e ora a Deus com elas. Utilizar orações curtas concentra sua atenção, e perfaz todas as suas necessidades espirituais.
Não esqueça que a força da oração é o "espírito contrito", isto é, o estado no qual seu coração está repleto de arrependimento e humildade. Entreguem-se nas mãos de Deus e Ele nunca os deixará. Enquanto estiver orando, você não deve tentar visualizar Deus ou a Mãe de Deus, ou os santos, ou os anjos, ou qualquer outra visão; apenas ore tendo a certeza de que Deus e os santos escutam sua oração. Como eles conseguem escutar? De que vale discutir isto? Eles simplesmente escutam, e isso é tudo. Se você começar a criar várias imagens na sua mente, surge o perigo de rezar para alguma fantasia. Como podemos visualizar algo que nunca vimos? E também, o estado no qual os santos se encontram naquele outro mundo é tão diferente de qualquer coisa que nos é familiar que todas as nossas visualizações estão destinadas a ser fraudulentas e equívocas. É por isso que devemos nos acostumar a dizer uma oração sem criar imagens nas nossas mentes.




Agradecendo ao mimo dado pela amiga Suzete dona do blog SONHANDO COM A VIDA fofinha uma pessoa encantadora com certeza, confiram.
Muito obrigada Su pelo seu carinho.




Esse mimo tem regrinhas, mas seguindo meu jeitinho de ser não indico blog algum pois sempre acho que todos merecem ganhar selinhos e mimos.
Mas se você deseja repassa´-lo é só sesguir as regrinhas abaixo::-

As regras são:

° postar o selinho

°indicar cinco blogs



Beijos meus, cheios de luz, paz, amor, fé e esperança!
Rosane!




2 comentários:

  1. MA- RA - VI- LHA! Rosane, estou encantada com esse material, mesmo pq eu vivo suspirando e exclamo essa frase e outra que me dá satisfação é dizer. Deus me ama! Ele gosta muito de mim, quando algo bom me acontece. Vc está no caminho Rosane. O ouro é provado no cadinho em altíssima temperatura. " Levá-la-ei à solidão para falar-lhe ao coração. (Oséias 11,14). Dê graças ao Senhor pelo deserto vivo que vc está vivendo. Dê graças, Rosane, sem cessar!!! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu li esse livro por indicação de uma vendedora das lojas Paulinas e adorei, na verdade enquanto lia, era como se fizesse o caminho junto com ele, porque faço estudo Bíblico e muitas vezes como ele , no início nos sentimos bem , depois vem a preguiça ....nossa quando li essa parte era como se ele falasse pra mim, muita rico esse livro.
    E adorei seus comentários ,principalmente porque não tive a curiosidade de ler o Casticismo da Igreja .

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails