sexta-feira, 6 de março de 2009

- HOMENS A FAVOR DAS MULHERES -





HOMENS A FAVOR DAS MULHERES

Parece perfeitamente normal que as mulheres criem associações e promovam atividades para defender a si mesmas ante os ataques e abusos de alguns homens ou de certos grupos de poder. Grupos de poder que promovem, por exemplo, a esterilização forçada de mulheres pobres, ou que exploram com violência mulheres jovens e crianças para levá-las à prostituição, ou que contratam trabalhadoras com salários mais baixos que os dos homens. Nessa mesma lógica, seria normal que os homens (varões) também organizem suas associações de defesa quando se sentissem agredidos por algumas mulheres ou por outros grupos sociais, políticos ou econômicos.
Mas o que poderia parecer estranho é que grupos de mulheres se organizem para defender os homens, ou que grupos de homens se unam para defender as mulheres. Ainda que para alguns isto pareça um conto das "Mil e uma noites", sem dúvida é algo que a humanidade já o faz durante séculos.
É verdade que o ser humano (homem e mulher) muitas vezes caíram no erro de depreciar o diferente, como quando alguns espanhóis na conquista das américas se perguntavam se os índios tinham alma, ou quando os gregos acreditavam que os escravos não mereciam quase nenhum direito, ou quando alguns "libertadores" da América matavam os colonos da "pátria mãe" como se se tratassem de ratos, sem deter-se em "escrúpulos" para distinguir os bons dos maus…
Porém também é verdade que outros seres humanos foram capazes de defender e de trabalhar em favor do "distinto", do "diferente". Eram homens e mulheres livres os que se lançaram a abolir a escravidão em muitos lugares do planeta. Eram brancos os que promulgaram leis para a proteção dos índios. Eram cristãos os que pediram maior respeito para com os que pertenciam a outras religiões. Por que não sonhar com um feminismo que nasça desse grupo de varões?
Já ocorreram casos de homens que se lançaram na defesa dos direitos da mulher, porém o caminho para percorrer é longo. Quando sabemos que há lugares em que ele diz sempre a última palavra (ou o último grito), e se chegam a golpes para impor a própria "razão"; quando há médicos que para satisfazer as autoridades, enganam e oferecem anticoncepcionais abortivos a mulheres que carecem de instrução; quando há planos nacionais, como na China, que forçam muitas famílias a assassinar a menina que nasce porque preferiam meninos…a verdade é que ainda há muito que fazer.
Nem todo o panorama é igualmente sombrio. Em muitos lugares o marido sabe dialogar e, inclusive, submeter-se à esposa quando ela tem razão (e isto não ocorre poucas vezes). Há médicos que querem respeitar a integridade da mulher diante de qualquer campanha mais ou menos oficial ou "filantrópica" para controlar o tesouro tão feminino d fecundidade (tesouro que também o homem possui e que não poucos atacam com planos de esterilização mais ou menos forçados). Há famílias que acolhem cada menina que nasce ainda que isto implique viver sob a pressão exterior que sugere aos gritos que nasçam apenas homens…
Urge, para tanto, que cada vez mais homens defendam as mulheres, e que as mulheres defendam - por que não? - os homens. A grandeza de uma sociedade não consiste em que cada grupo fique em trincheiras atrás de seus interesses particulares para defende-los a custa do bem comum. Uma sociedade se faz grande quando cada grupo busca o bem verdadeiro dos demais, nesse pluralismo autentico que nasce do respeito não aos erros (nunca toleraremos idéias hitlerianas nem racismos de ocasião) mas sim às pessoas que às vezes se equivocam de boa fé, e que necessitam ser ajudadas a descobrir a verdade.
É utopia almejar um novo feminismo aberto? Houve quem chamasse os defensores dos escravos de sonhadores ou inimigos do sistema econômico eficiente. Há aqueles que hoje rotulam como inimigos da mulher os que atacam o aborto ou a esterilização forçada. Porém, será a razão e o sentido profundo da dignidade humana que nos dirão o que realmente podemos fazer pela mulher. Não abandoná-la à lógica de mercado, à lei do mais forte, nem depreciá-la em suas dimensões características, como são a possibilidade de ter filhos ou o carinho que sabe oferecer como poucos homens são capazes. O novo feminismo respeitará a mulher em sua integridade. E isso é algo que interessa não somente às mulheres, mas sim a todos os homens que queremos viver, de igual para igual, com aquelas que junto a nós, e não contra nós, podem construir um mundo mais humano e mais feliz.
Autor: Bosco Aguirre








Mulher da Vida, minha Irmã.
De todos os tempos.
De todos os povos.
De todas as latitudes.
Ela vem do fundo imemorial das idades e
carrega a carga pesada dos mais torpes sinônimos,
apelidos e apodos:
Mulher da zona,
Mulher da rua,
Mulher perdida,
Mulher à-toa.
Mulher da Vida, minha irmã.
Pisadas, espezinhadas, ameaçadas.
Desprotegidas e exploradas.
Ignoradas da Lei, da Justiça e do Direito.
Necessárias fisiologicamente.
Indestrutíveis.
Sobreviventes.
Possuídas e infamadas sempre por
aqueles que um dia as lançaram na vida.
Marcadas.
Contaminadas, Escorchadas.
Discriminadas.
Nenhum direito lhes assiste.
Nenhum estatuto ou norma as protege.
Sobrevivem como erva cativa dos caminhos,
pisadas, maltratadas e renascidas.
Flor sombria, sementeira espinhal
gerada nos viveiros da miséria,
da pobreza e do abandono,
enraizada em todos os quadrantes da Terra.
Um dia, numa cidade longínqua,
essa mulher corria perseguida pelos homens que
a tinham maculado.
Aflita, ouvindo o tropel dos perseguidores e o sibilo das pedras,
ela encontrou-se com a Justiça.
A Justiça estendeu sua destra poderosa e
lançou o repto milenar:
“Aquele que estiver sem pecado atire a primeira pedra”.
As pedras caíram e os cobradores deram s costas.
O Justo falou então a palavra de eqüidade:
“Ninguém te condenou, mulher... nem eu te condeno”.
A Justiça pesou a falta pelo peso do sacrifício e este excedeu àquela.
Vilipendiada, esmagada.
Possuída e enxovalhada,
ela é a muralha que há milênios detém
as urgências brutais do homem para que
na sociedade possam coexistir a inocência,
a castidade e a virtude.
Na fragilidade de sua carne maculada
esbarra a exigência impiedosa do macho.
Sem cobertura de leis e sem proteção legal,
ela atravessa a vida ultrajada e imprescindível,
pisoteada, explorada,
nem a sociedade a dispensa
nem lhe reconhece direitos
nem lhe dá proteção.
E quem já alcançou o ideal dessa mulher,
que um homem a tome pela mão, a levante, e diga:
minha companheira.
Mulher da Vida, minha irmã.
No fim dos tempos.
No dia da Grande Justiça do Grande Juiz.
Serás remida e lavada de toda condenação.
E o juiz da Grande Justiça
a vestirá de branco
em novo batismo de purificação.
Limpará as máculas de sua vida
humilhada e sacrificada
para que a Família Humana possa subsistir sempre,
estrutura sólida e indestrurível da sociedade,
de todos os povos, de todos os tempos.
Mulher da Vida, minha irmã.
Declarou-lhe Jesus:
“Em verdade vos digo que publicanos e meretrizes vos precedem no Reino de Deus”.
Evangelho de São Mateus 21, ver.31.

Poesia dedicada, por Coralina, ao Ano Internacional da Mulher em 1975.







O novo feminismo respeitará a mulher em sua integridade. E isso é algo que interessa não somente às mulheres, mas também a todos os homens que queremos viver, de igual para igual, com aquelas que junto a nós, e não contra nós, podem construir um mundo mais humano e mais feliz.





Um feliz DIA INTERNACIONAL DA MULHER a todas as mulheres do mundo!

Rosane!

8 comentários:

  1. Parabéns por ser esta mulher, em todos os sentidos, maravilhosa: mãe, amiga, irmã, esposa entre tantas mais.

    Obrigado por Você!!

    Te amoooo!

    Bom final de semana!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. " Melhor estão dois juntos que o solitário, porque melhor será o resultado do que fazem. Porque se cair um deles, sua companheira o erguerá. Além disto, se dois se deitam juntos, um aquece ao outro, mas como se aquecerá o que está solitário?" Eclesiastes 4: 9,10,11

    Beijo grande

    ResponderExcluir
  3. Querida Rôrô:

    Acho acima de tudo que a mulher se deva RESPEITAR a si mesma e depois os outros respeitá-la-ão! Não concordo que se deva ser "mulher da vida" ou outra coisa qualquer porque levo em conta que o corpo embora matéria é o templo de uma alma que reside nele e se serve dele para evoluir e penso que não se desrespeitando que se evolua! Cada um sabe de si, mas nós SOMOS UM SER NESTE CORPO FÍSICO E NÃO... UM CORPO FÍSICO QUE POR ACASO TEM UM SER!
    Detesto feminismos e tudo o que me soe a separatividade do que é comunhão e unidade. Tendemos a ser um só povo nesta Era de Aquário, porque é esse o significado que ela encerra. portanto que a feminilidade que Deus tanto aprova porque somos geradoras e vida, seja para ser elogiada de cabeça erguida como privilegiadas pelo nosso Creador. Quem assim não se sente....penso que não estará no bom caminho. O meu post que publiquei ontem, é em grande parte para ti!
    Deixo-te um abraço apertado e a lembrança de que estarei sempre aqui para o que quiseres.
    Mariz

    ResponderExcluir
  4. Oie..testando com explore pra ver se o comentário aparece. Bom findi!!!

    ResponderExcluir
  5. Existe uma visão super errada sobre o feminismo. Não creio que tenha que existir um novo feminismo. Feminismo existe e pronto, mas não é odiar os homens como muitos apregoam e sim lutar por termos respeito, fazer com que alguns homens parem com o pensamento machista que mulher é um ser que deve ser inferiorizado. Isto sim é antigo. Melhor os dois caminharem lado a lado, sem falsos moralismos e hipocrisia. Feliz dia da mulher!! Beijus

    ResponderExcluir
  6. Olá Rosane!

    Parabéns pelo dia da mulher! e pelo texto maravilhoso!

    beijosss

    ResponderExcluir
  7. Lindo, lindo, lindo!!!

    Parabéns pra nós, mãezinha!!!

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails