sexta-feira, 29 de outubro de 2010

"A decisão - Chaplin - "



“Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar.”
Tiago 1. 25



Se, apressadamente, tomarmos alguma decisão, sem sabedoria, sem um conselho experiente às vezes, com certeza sofreremos muitos danos, pois, “eu, a Sabedoria, habito com a prudência e disponho de conhecimentos e de conselhos.” Pv 8. 12 e: “o caminho do insensato aos seus próprios olhos parece reto, mas o sábio dá ouvidos aos conselhos.” Pv 12. 15.
Li e aprendi aqui


 Ontem coloquei um texto aqui no blog  intitulado "PENSE BEM EM SEU VOTO""
Mas hoje resolvi retirar. Como domingo tenho que votar novamente e estou analisando em quem votar, depois pesquisar muito e ler vários e-mail recebidos falando desse e daquele candidato, não achei que estava agindo bem. Por tanto retirei o texto, pois acredito não estar sendo justa e deixo apenas está frase que bem me caiu::..

" O pau que bate em Chico tem que bater em Francisco! "

Portanto...

“O pau que bate em Dilma tem que, necessariamente, bater em Serra!!!”

imagem aqui

A decisão


Charles Chaplin não foi somente um grande comediante, criativo, que nos legou peças raras do cinema. Soube legar mensagens de piedade, de compaixão, mesmo numa época em que o cinema ainda era mudo.
Servindo-se da possibilidade que detinha, criou o personagem “Carlitos”, doce, ingênuo e trapalhão, tudo ao mesmo tempo.  Contudo, com um detalhe indiscutível: uma imensa capacidade de amar.
Sabendo tecer críticas sem se tornar agressivo, Charles Chaplin legou ao mundo um acervo considerável de peças cinematográficas, até hoje vistas e revistas.
Mas, não somente fez cinema. Como ser humano, desde cedo, sofreu muito, vivenciando na infância a dor da orfandade paterna e a doença mental de sua mãe.
Triunfando, apesar de todas as adversidades, ele escreveu belas páginas, e uma delas fala exatamente em como superar os obstáculos da vida. Chama-se: a decisão, e diz assim:
“Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer, antes que o relógio marque meia-noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.”
Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.
Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.
Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria, ou posso ser grato por ter nascido.
Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.
Posso sentir tédio com as tarefas da casa ou agradecer a Deus por ter um teto para morar.
Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisas não saíram como planejei, posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.
O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende de mim. 
*** 
Você já parou para pensar em como pode decidir pela sua felicidade ou infelicidade, a cada dia?
Já se deu conta de que tudo depende da forma como você  encara o que acontece?
Há tantos momentos na sua vida, que você desperdiça, e passa na inutilidade ou na reclamação.
Momentos que podem se transformar em aflições ou em alegrias.
Num momento você pode resolver vencer ou se entregar à derrota; libertar-se das velhas fórmulas de queixas ou prosseguir acabrunhado e triste.
Lembre-se: a cada segundo você pode decidir o momento seguinte. Por isso, resolva-se pela escolha da melhor parte, porque este é o seu momento de decisão. 

Fonte aqui 

3 comentários:

  1. "O pau que bate em Chico, tem que bater em Francisco". Eu nesta semana estive batendo em Serra também. Não sei não, não sei não. Tudo é muito pouco, tudo é muito confuso, tudo é muito precário e tudo é muito nada o que sobra dos dois. Que situação sem opção, meu Senhor! Não é, Rosane? Que Deus nos ajude!

    ResponderExcluir
  2. Às vezes fico em dúvida se Charles Chaplin escreveu tanta coisa, devido ao seu histórico familiar. Quem sabe um Ghostwriter?

    Sei que política cada um tem sua opinião, mas não podemos ficar com medo de ofender quem pensa diferente de nós.

    O meu post atual, sei que muita gente não vai gostar e em consequência não irão comentar, mas paciência! Esvazio a minha consciência.

    Boa votação! Beijus,

    ResponderExcluir
  3. Oi, amiga! Saudade de ti.
    Sempre com textos lindos. Adoro!
    Bjks e uma semana de muita paz.

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails