quinta-feira, 29 de julho de 2010

" - Transtorno Explosivo Intermitente, ou "pavio curto - "



Transtorno Explosivo Intermitente, ou "pavio curto",segundo especialista essa doença precisa de tratamento

Pavio curto
Especialistas mostram como controlar melhor as emoções e não explodir à toa
Por Viviane d'Avilla
 
Fulano explode à toa, ciclano é um descontrolado, beltrano tem o pavio curto. A expressão é velha, mas é assim que muita gente reage em situações de estresse, diante de uma desavença, quando precisa dizer o que sente. No outro extremo, estão aqueles que calam. E ponto. Afinal, o que fazer quando a emoção vem feito uma avalanche em nossa direção? Como reagir a situações de extrema descarga emocional? Na opinião dos especialistas, vale tudo. Ou quase tudo. Leia o que eles dizem. Pode ajudar na próxima situação limite que você enfrentar.
Considere que você, os seus amigos, os seus parentes, os colegas de trabalho e com quem mais você se relacione já estão bem grandinhos. Como sabemos, o mundo dos adultos tem regras preestabelecidas. “O comportamento das pessoas está ligado às relações sociais e muitas de nossas funções só estão amadurecidas à partir dos 20 anos de idade. Assim como aprendemos a controlar nossos impulsos e nossos comportamentos diante de nossos desejos e necessidades, aprendemos também a canalizar nossas frustrações em algo”, afirma a psicóloga Vilma Pellegrino
.
Especializada em Psicodrama Terapêutico, a psicóloga Marina Vasconcelos, explica que o discernimento é um fator de grande importância em todos os setores da vida de um indivíduo, já  que pode contribuir com uma melhor qualidade de vida, comportamento e aceitação no meio social.
“A importância da percepção do contexto para a melhor colocação das emoções é de grande valia, já que é necessário se dar conta das regras sociais que devem ser obedecidas para que um problema maior não seja causado. Ambientes profissionais, em um hospital ao receber uma notícia ruim, perto de crianças pequenas. Há inúmeras situações onde o melhor a fazer é expressar as emoções de forma controlada”, complementa Marina.
 O diálogo é sempre uma boa escolha, defende a diretora do Instituto de Psiquiatria da UFRJ, Maria Tereza Tavares, mas é preciso falar com calma e tranquilidade sobre o que o emociona. “O ideal é conversar sobre a situação que causou a emoção a pessoa que a desencadeou. Contudo, muitas vezes não há possibilidade de conversa no momento exato em que a situação ocorre, ainda assim, se for possível. Se não, é externar em um momento posterior e mais adequado. Mas não deixar de fazê-lo”, explica.
Controlar as emoções não significa não senti-las ou não vivenciá-las. "Dor e raiva são sentimentos legítimos. Quem tem tendência a guardar tudo para si, corre o risco também de bloquear as emoçoes positivas", alerta a psicanalista Claudia Finamore, que é adepta em seus tratamentos do ensinamento sobre o equilíbrio entre razão e emoção.
Qualquer excesso, segundo Finamore, é prejudicial. Tanto a racionalidade como a sensibilidade à flor da pele. "A razão excessiva faz com que o sujeito vivencie e expresse pouco de suas emoções e absorva para si toda carga emotiva. A pessoa mais sensível, por sua vez, que explicita seus sentimentos com facilidade, age por impulso e gera situações sociais desconfortáveis", explica.

Solução para essa corda bamba? Existe. O equilíbrio emocional. Esse, sim, merece todo o esforço. "É cada um conhecer suas emoções e sentimentos e também os seus limites. E nunca ir contra eles", prega Finamori.
 Preste atenção nessas sabias palavras::..
Cada consciência é um centro gerador de forças no movimento universal, cuja direção depende de si mesma.
Pensar é criar.
O destino recebe a forma que lhe impusermos, à maneira do vaso que exprime a imaginação do oleiro.
A palavra vem depois da idéia.
A ação é cimento invisível.
A obra é pensamento coagulado.
Renovar o mente no trabalho incessante do bem, cunhando valores positivos, ao redor de nós mesmos, é estabelecer roteiros sempre novos para a vanguarda evolutiva.
O espírito, herdeiro divino do Supremo Senhor, traz consigo todas as sementes do Céu para engrandecer a Terra.
Unidade atuante, irradias-se, através de mil modos, gozando ou sofrendo, em seu cosmo orgânico, a benção ou a reação das energias que projeta e que o elevam ou convulsionam, de acordo com a intensidade dinâmica que lhes é característica.
Cultiva a tua mente, iluminando-a e enobrecendo-a.
Ainda que, por agora, não percebas, a tua alma se expande, em milhões de partículas, que são os agentes de libertação ou de cativeiro elaborados por teu próprio plano mental.
Avança, escolhendo a “melhor parte”.
Diante do sofrimento e da morte, afirmou o Mestre, certa vez: - “Não temas, crê somente.”
Segundo pensarmos, assim será.
(Do livro “Doutrina E Aplicação”, André Luiz, Francisco Cândido Xavier, Espíritos Diversos)


Que seu dia seja iluminado e cheio de amor, fé e esperança!
Reaja aos impulsos de explosão nada vale se a sua real saúde mental e física.
Pense um pouco mais antes de perder a paciência. suas explosões e seu pavio curto só vai prejudicar a você mesmo e ferir muito o seu próximo.
Beijos e beijos!


2 comentários:

  1. Oi Rô, tudo bem?

    Ontem eu li um pequeno livro muito emocionante passei por aqui para compartilhar com vc.

    Trata-se do registro de um filho que, após a morte de sua mãe, descobriu a doença do pai (o problema da perda da memória recente, que é, de fato, muito triste) e cuidou dele até o dia de sua morte, aos 99 anos.

    Dá uma olhada no link:

    http://www.dayswithmyfather.com/

    Vc vai baixando as páginas, rolando com o mouse, e lendo a história, é em inglês. Vc pode copiar e colocar em um tradutor. O texto é curto, dá pra ler rapidinho. Achei lindas as fotos. Dá pra refletir um pouquinho sobre muitas coisas...

    Se não entender inglês, vc pode traduzir no tradutor do google:

    http://translate.google.com.br/

    Beijos!!

    Adriana.

    ResponderExcluir


  2. Pavio curto é muito ruim. As vezes eu tenho uns repentes, mas acho que não seja muito drastico. mas temos que tomarcuidado com o que dizemos, falamos, e até com o que pensamos.
    Tem hora que o Divino Espirito Santo parece que não nos faz escutar o que Ele está dizendo.
    Mais oração!
    com carinho MOnica

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails