sábado, 17 de maio de 2008

16 regras para se manter um casamento feliz



Li e indico :: - PARA VIVER UM GRANDE AMOR
são 16 regrinhas fáceis de serem colocadas em prática, basta querer e amar.
Apesar de ser casada a quase 33 anos(os quais completarei daqui 2 meses) e extramamente apaixonada por meu marido,
todos os dias temos que casar novamente., para sempre ter em mente aquilo que lá, em frente ao altar nós protemos um ao outro, esses juramentos não podem e não devem jamais ser esquecidos.

1- Romantismo. Mesmo após décadas de união, manter o clima romântico é essencial para a saúde do relacionamento. Não espere que o outro tome a iniciativa. Comece você a agradá-lo, mesmo que o retorno seja a longo prazo. Investimento é assim. Pode demorar a produzir resultados. Vale tudo. Prepare um jantar especial, dê flores, planeje programas a dois, etc.

2- Sexo sem rodeios. Mas não como tem sido pregado por aí. O sexo começa fora da cama. Ele tem de estar ligado ao romantismo. De nada adianta vocês experimentarem 450 posições e não haver ternura. O outro pode sentir-se como um objeto sexual. Não há nada errado em provar posições ou lugares diferentes na hora do sexo, desde que haja carinho, confiança e afetividade mútua.

3- Converse. A comunicação pode trazer bens incalculáveis a um relacionamento. Um papo franco serve para não deixar questões mal resolvidas e ainda fortalece o laço de amizade e companheirismo. O silêncio faz com que a pessoa acumule dentro de si problemas e frustrações.

4- Cuide-se. Tenha uma aparência agradável. Ninguém gosta de ter ao seu lado alguém desleixado. Você não precisa comprar roupas caríssimas ou fazer tratamentos estéticos da moda. Mas não precisa perder a vaidade.

5- Elogie. Não critique o tempo todo. Isso não significa dizer que o parceiro deve ser louvado por toda e qualquer atitude, mesmo estando errado. Mas procure valorizar seu lado bom. O elogio é uma forma de reconhecimento e incentivo.

6- Abrace. O abraço é mais do que uma demonstração de carinho. É companheirismo. É deixar claro que você sempre estará lá para o que der e vier.

7- Ouça. As pessoas precisam e gostam de ser ouvidas. Muitos homens erram quando deixam de ouvir e começam a dar conselhos. Nessa hora, o melhor mesmo é deixar o outro falar, desabafar. Após anos de relacionamento, muitos casais se esquecem dos benefícios que esse segredo produz na vida a dois.

8- Faça tudo com satisfação. Não por medo de perder o outro, mas por puro prazer. Isso vale para quando você precisar acompanhá-lo a uma consulta, a casa de familiares ou até mesmo a passeios que te pareçam desinteressantes. Vá com alegria. Se isso lhe for uma obrigação, é melhor ficar em casa. Essas atitudes simples são capazes de mudar um relacionamento, mesmo que não de imediato.

9- Cresça junto. Seja interessante. Viva e seja capaz de aceitar desafios. As pessoas mudam com o passar dos anos. Trocam suas prioridades, aspirações e a forma como encaram a vida. Um companheiro que não acompanha o crescimento do outro, tende a ficar para trás. Busquem os mesmos objetivos. É sinal de perigo quando só um dos dois se desenvolve.

10- Apoie. Incentive o outro a realizar seus sonhos. O valor do apoio excede ao do dinheiro.

11- As crises são normais. Situações como desemprego, insucesso profissional e até mesmo a aposentadoria mexem com a auto-estima de qualquer um. Então, esteja preparado para lidar com elas e estar ao lado daquele que, certamente, irá precisar de você.

12- Ajude. O homem pode auxiliar no trabalho de casa assumindo alguma tarefa. Lavar a louça do jantar, colocar o lixo para fora ou arrumar a própria bagunça. Muitos não dão o valor devido aos afazeres do lar. Mas quando estes não são realizados, logo é percebida sua importância no andamento da casa. A maior satisfação da mulher é o homem que contribui.

13- Invista no relacionamento diariamente. Nenhum casamento está garantido pelo tempo. Ainda mais que, hoje em dia, os valores da sociedade têm passado por transformações profundas. Se você não investir, não receberá retorno. É a lei do que você plantar, você colherá.

14- Fortaleça os laços dentro de casa. Tenha princípios e valores éticos que não te permitam causar dores em sua família. Um bom exemplo são as relações extraconjugais. A traição é apontada como uma das maiores causas de separação. É o tipo de situação que produz mágoas em todo o ambiente familiar. A sociedade criou modelos de parceiros e relacionamentos ideais fora da realidade.

15- Respeite seu companheiro (a), acima de tudo, como um ser humano. Considere suas opiniões e preferências. Ninguém é igual a ninguém. Insultos arruínam com a auto-estima do outro e produzem um clima de inimizade.

16- Seja sensível ao outro. Compartilhe os momentos bons e ruins. Em outras palavras, preocupe-se com as questões que preocupam seu companheiro. Alegre-se com ele. Ria junto. Chore também.

“Na alegria ou na tristeza, na saúde ou na doença”.
Vale aplicar aqui esse princípio cristão.



Ailton Amélio da Silva é doutor em psicologia pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, onde leciona nos cursos de graduação e pós-graduação (mestrado e doutorado). Foi professor de várias outras faculdades da capital paulista. É fundador e coordenador do Centro de Estudos da Timidez e do Amor (Instituto de Psicologia, USP). Atua como psicólogo clínico especializado em relacionamento amoroso, timidez, auto-estima, comunicação e assertividade, temas recorrentes nos cursos que ministra para empresas e para o público em geral. Como pesquisador, é autor de inúmeros trabalhos sobre o relacionamento amoroso e comunicação não-verbal.
Monica Martinez é jornalista, tem 39 anos e é mãe de Laura Louise, de 8 anos. Nasceu em São Caetano do Sul, SP. É doutora em Ciências da Comunicação pelo Núcleo de Epistemologia da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP). Desde 2004, é responsável pela disciplina Jornalismo Literário da UniFiamFaam Centro Universitário. É co-autora de Beleza sem Cirurgia, Editora Senac e tem capítulos em outras publicações. Ministra o curso de Escrita Criativa no Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, onde recentemente implantou o primeiro curso on-line da entidade. Por escrever e ensinar a redigir perfis e biografias, notou a grande ênfase nos relacionamentos amorosos nas histórias de vida, o que a influenciou a pesquisar o assunto e a escrever este livro.
Para viver um grande amorAutores: Ailton Amélio da Silva e Monica Martinez


Editora Gente


4 comentários:

  1. Olá!!!
    Que legal esse "novo visual" do Blog, ficou ótimo!
    Excelente texto!
    abraços e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Eu também faço aniversário de casamento daqui 2 meses....
    Dia 24/07 - 03 aninhos :)

    Que dia é o seu?

    ResponderExcluir
  3. Espero que você leia respondi a cada uma das suas belissímas regras
    1-Programo algumas coisas para fazer a dois mais ele nunca quer, me deixa esperando, diz ki ta cansado ou sem dinheiro, e ainda diz que sou chiclete.
    2-Só me da carinho quando quer sexo eu percebo isso,não gosta de ficar namorando só por namorar.
    3-Não gosta de conversar só fala comigo quando é do interesse dele não gosta dos meus assuntos diz que é papo de mulher nas tenho que ouvi-lo mesmo achando o mesmo do papo dele.
    4-Que me adianta me arrumar ele nunca repara nem elogia e se repara é pra reclamar
    5-Elogio, não o tempo todo porque ando meio desmotivada até porque esses dias ele viu que ta todo mundo tava me elogiando mandou aquela “é ela ta meio ajeitada mesmo” Daí fica difícil elogia até porque ele anda muito relaxado num faz a barba e às vezes fica uma semana com a mesma roupa.
    6-Bom em quentão te abraçar ele até que abraça mas só pra dormir
    7-Ouvir é mais fácil, aliás, é o que mais faço até porque ele adora falar sobre os seus interesses, mas falar eu não consigo, até porque ele nunca quer me ouvir sempre diz que num entende dos meus assuntos, mas reclama se faço algo errado, diz que não o consultei por isso fiz errado, eu não entendo isso se eu pergunto ele diz que eu tenho que saber me virar e se faço sem perguntar diz que não sei fazer nada sozinha, diz que faço tudo errado.
    8-Ta até faço quando ele quer minha companhia né (até porque gosto muito da família dele), mas e ele quando sai comigo vai com um bicão porque diz que prefere ficar em casa sozinho, aliás, ele adora ficar sozinho ouvindo as musicas dele no escritório dele sem ninguém pra atrapalhar e incomodar.
    9-Até tento apóia-lo, mas ele é muito sossegado com as coisas é difícil motivá-lo assim e eu ele só diz palavras de derrotas e ainda diz que fala assim, pro meu crescimento, eu não entendo acho que ele devia me apoiar para eu crescer não me humilhar e me rebaixar.
    10-Eu sempre o apóio na medida do possível porque se eu falar demais ele acha ki to pegando no pé dele
    11-Realmente precisamos ser mais companheiros nessas horas, uma vez fiquei doente de cama e cai em depressão não conseguia nem levantar pra sair de casa, só a base de remédios para dormir e ainda tinha que ouvir ele me ofendendo e me humilhando todos os dias porque ele achava que se me humilhasse bastante eu ia querer reagir e sair da depressão se não fosse pela minha mãe eu talvez nem estaria mais aqui porque ela sim me deu força para sair da aquela situação.
    12-Eu trabalho fora e ele também, mas em casa eu tenho ki fazer tudo sozinha e ainda limpar a bagunça que ele faz tenho 4 filhos e acho que ele tinha sim que tomar a iniciativa e me ajudar a fazer alguma coisa ou pelo menos parar de fazer bagunça.
    13-Eu só planto, mas às vezes acho que to jogando minha semente em terra ruim.
    14-Traição nem sempre é só carnal fica muito chateada quando ele fica vendo filme pornô sozinho no comutador.
    15-Auto-estima é uma coisa que ta meio em baixo pra nós dois eu até tento elogiá-lo, mas ele me humilha demais fica difícil.
    16-Finalizando até tento, mas nem sempre da muito certo não.
    Não sei se ainda da pra fazer alguma coisa estamos juntos a 7 anos e faz uns 6 anos ki estamos assim.
    Se quizer entrar em contato
    patycynhas.msn@hotmail.com
    Bjos

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails