sábado, 29 de setembro de 2012

A CIGARRA E A FORMIGA Paulo Costa



Foto: A CIGARRA E A FORMIGA
"Sinto que sou uma formiga aqui nesta terra fértil onde empenhei a minha vida. Sinto que somos muitas, formigas "armadas" em pessoas, aquelas que nos dedicamos a lutar por este Portugal. Sinto que fui um escravo deste amor ao meu país, que não saí por amor à Pátria, que continuo aqui porque a Pátria é o meu amor. Sinto que sou uma formiga que sigo em fila militar de acordo com as mais altas ordens da nação, sempre com uma humildade absurda a que poucos dão valor. Esquecido? Não, apenas uma formiga pisada por gigantescas cigarras que teimam em nos esmagar, esquecendo tudo o que conquistamos para este território, cigarras estas que, através de ogivas de incompetência e actos de corrupção nuclear, agora nos teimam em conquistar. Sinto que são cigarras e que sou apenas e tão só uma formiga. Valha-me o consolo de saber e sentir que sou uma cigarra em valores humanos e em dedicação verdadeira à Pátria e que estes que nos pisam não passam de pobres ácaros sociais."

Foto: Rui Pires
Texto: Paulo Costa

O texto abaixo retrata a velhice em Portugal, mas, com certeza se encaixa precisamente aqui no nosso Brasil.
Concordam???

A CIGARRA E A FORMIGA
"Sinto que sou uma formiga aqui nesta terra fértil onde empenhei a minha vida. Sinto que somos muitas, formigas "armadas" em pessoas, aquelas que nos dedicamos a lutar por este Portugal. 
Sinto que fui um escravo deste 
amor ao meu país, que não saí por amor à Pátria, que continuo aqui porque a Pátria é o meu amor.


 Sinto que sou uma formiga que sigo em fila militar de acordo com as mais altas ordens da nação, sempre com uma humildade absurda a que poucos dão valor.


 Esquecido? Não, apenas uma formiga pisada por gigantescas cigarras que teimam em nos esmagar, esquecendo tudo o que conquistamos para este território, cigarras estas que, através de ogivas de incompetência e actos de corrupção nuclear, agora nos teimam em conquistar. 


Sinto que são cigarras e que sou apenas e tão só uma formiga. Valha-me o consolo de saber e sentir que sou uma cigarra em valores humanos e em dedicação verdadeira à Pátria e que estes que nos pisam não passam de pobres ácaros sociais."

Foto: Rui Pires
Texto: Paulo Costa












Beijos meus cheios de luz, paz, amor, fé e esperança!  












Um comentário:

  1. Interessante a colocação do autor. Em lá, não morando, senti dificuldade em sentir o texto! O autor descreve lindamente o amor à pátria! Lindo findi! Grande abraço!

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails