sexta-feira, 11 de julho de 2008

- Licões de vida -



Lições de Vida

“Um dia, durante uma conversa entre advogados, me fizeram uma pergunta”:
O que de mais importante você já fez na sua vida?
A resposta me veio à mente na hora, mas não foi a que respondi, pois as circunstâncias não eram apropriadas. No papel de advogado da indústria do espetáculo, sabia que os assistentes queriam escutar anedotas sobre meu trabalho com as celebridades. Mas aqui vai a verdadeira, que surgiu das profundezas das minhas recordações:
O mais importante que já fiz na minha vida, ocorreu em 08 de outubro de 1990. Comecei o dia jogando golfe com um ex-colega e amigo meu que há muito não o via. Entre uma jogada e outra, conversávamos a respeito do que acontecia na vida de cada um. Ele me contava que sua esposa e ele acabavam de ter um bebê. Enquanto jogávamos chegou o pai do meu amigo que, consternado, lhe diz que seu bebê parou de respirar e que foi levado para o hospital com urgência. No mesmo instante, meu amigo subiu no carro de seu pai e se foi.
Por um momento fiquei onde estava sem pensar nem mover-me, mas logo tratei de pensar no que deveria fazer: Seguir meu amigo ao hospital? Minha presença, disse a mim mesmo, não serviria de nada, pois a criança certamente está sob cuidados de médicos, enfermeira, e nada havia que eu pudesse fazer para mudar a situação. Oferecer meu apoio moral? Talvez, mas tanto ele quanto sua esposa vinham de famílias numerosas e sem dúvida estariam rodeados de amigos e familiares que lhes ofereceriam apoio e conforto necessários acontecesse o que acontecesse. A única coisa que eu faria indo até lá, era atrapalhar.
Decidi que mais tarde iria ver o meu amigo. Quando dei a partida no meu carro, percebi que o meu amigo havia deixado o seu carro, aberto com as chaves na ignição, estacionado junto às quadras de tênis. Decidi, então, fechar o carro e ir até o hospital entregar-lhe as chaves. Como imaginei, a sala de espera estava repleta de familiares que os consolavam. Entrei sem fazer ruído e fiquei junto à porta pensando o que deveria fazer. Não demorou muito e surgiu um médico que se aproximou do casal e em voz baixa, comunica o falecimento do bebê.
Durante os instantes que ficaram abraçados a mim pareceu uma eternidade, choravam enquanto todos os demais ficaram ao redor daquele silêncio de dor. O médico lhes perguntou se desejariam ficar alguns instantes com a criança. Meus amigos ficaram de pé e caminharam resignadamente até a porta. Ao ver-me ali, aquela mãe me abraçou e começou a chorar. Também meu amigo se refugiou em meus braços e me disse: Muito Obrigado por estar aqui!
Durante o resto da manhã fiquei sentado na sala de emergências do hospital, vendo meu amigo e sua esposa segurar nos braços seu bebê, despedindo-se dele. Isso foi o mais importante que já fiz na minha vida.
Aquela experiência me deixou três lições:
Primeira: o mais importante que fiz na vida, ocorreu quando não havia absolutamente nada, nada que eu pudesse fazer. Nada daquilo que aprendi na universidade, nem nos anos em que exercia a minha profissão, nem todo o racional que utilizei para analisar a situação e decidir o que eu deveria fazer, me serviu naquelas circunstancias: duas pessoas receberam uma desgraça e nada eu poderia fazer para remediar. A única coisa que poderia fazer era esperar e acompanhá-los. Isto era o principal.
Segunda: estou convencido que o mais importante que já fiz na minha vida esteve a ponto de não ocorrer, devido às coisas que aprendi na universidade, aos conceitos do racional que aplicava na minha vida pessoal assim como faço na profissional. Ao aprender a pensar, quase me esqueci de sentir. Hoje, não tenho dúvida alguma que devia ter subido naquele carro sem vacilar e acompanhar meu amigo ao hospital.
Terceira: Aprendi que a vida poder mudar em um instante. Intelectualmente todos nós sabemos disso, mas acreditamos que os infortúnios acontecem com os outros. Assim fazemos nossos planos e imaginamos nosso futuro como algo tão real como se não houvesse espaços para outras ocorrências. Mas ao acordarmos de manhã, esquecemos que perder o emprego, sofrer uma doença, ou cruzar com um motorista embriagado e outras mil coisas, podem alterar este futuro em um piscar de olhos. Para alguns é necessário viver uma tragédia para recolocar as coisas em perspectiva.
Desde aquele dia busquei um equilíbrio entre o trabalho e a minha vida. Aprendi que nenhum emprego, por mais gratificante que seja, compensa perder uma férias, romper um casamento ou passar um dia festivo longe da família. E aprendi que o mais importante da vida não é ganhar dinheiro, nem ascender socialmente, nem receber honras.
O mais importante da vida é ter tempo para cultivar uma amizade."
(Autor desconhecido)


A vida ensina que a felicidade jorra da intimidade. Não há outra fonte. Pode haver prazer na apropriação, alegria no encontro, júbilo numa boa surpresa. Porém, felicidade, como profundo deleite do espírito, só na intimidade amorosa, na oração sem imagens e palavras, na contemplação do belo, no acolhimento do ser querido, na entrega ao mistério, na eternização subjetiva de um momento, na poesia de um toque, um gesto, uma palavra que traz em si plenitude. Ausência de desejos; tão só deixar-se sorver pelo esplendor de uma paz que ora vem como brisa suave, ora sopra como vento forte e assustador.




Vou passear com o vovô Barba. Todo ano nesse dia de aniversário de casamento vamos até o Santuário de Nossa Senhora Aparecida agradecer mais um ano de sacramento, e rogar ao Senhor que nos ilumine e nos de as graças necessárias para podermos continuar juntos, com saúde e muito amor.

Volto no domingo, tenham um maravilhoso final de semana e que Deus abençoe a todos.´


12 comentários:

  1. Vovó mudou a casa...ficou muito legal, gostei. Parabéns pelos 33 anos de casada. Boa viagem e divirta-se. Bjks!

    ResponderExcluir
  2. Nossa vovó, que mensagem linda!!
    Só aprendemos a dá as verdadeiras respostas para as nossas perguntas!!
    "A vida ensina que a felicidade jorra da intimidade..."
    BEijos e bom FDS tbm!

    ResponderExcluir
  3. Caraca, perfeito pra eu mandar pra um amigo que trabalha demais e vice de menos... Engraçado que ontem eu perdi as estribeiras com ele por isso... Vou mandar agora, muito bom texto!

    Beijos e parabéns pelos 33 anos (ui) de casada!!! Beijocas!

    ResponderExcluir
  4. Fiquei comovido com a história e a mensagem.Inspiradora.
    Parabéns pelas bodas.
    Que Deus os abençõe.
    Abração do amigão

    ResponderExcluir
  5. Rosana, completa mais uma bodas de casamento e ganha casinha nova.
    Parabéns, amiga, encantadora!!!!!!!
    boa viagem!

    ResponderExcluir
  6. Casamento
    Para haver uma união entre dois seres que se Amam, terá de ser uma união sem a sombra ameaçadora das promessas do amanhã – este momento é o bastante.
    Se realmente se Amam neste momento um ao outro, então estão a desfrutar o aqui e agora; e conseguem partilhar este momento um com o outro, o momento seguinte vai nascer deste, vai estar mais engrandecido.
    À medida que o tempo passa, o vosso Amor vai tornar-se mais profundo, vai começar a ter novas dimensões, mas não vai criar nenhuma limitação.
    Mas só conseguem encontrar novas dimensões, se alimentarem esse Amor todos os dias da vossa vida.
    Um simples beijo; um Amo-te que vem do fundo do coração;
    que linda/o que tu estás hoje;
    ser honesta/o na relação, sem mentiras;
    respeitar o espaço que cada um ocupa na relação; ser livre contudo responsável e fiel a si mesmo.
    O casamento começa por uma pequena semente que com o andar dos anos se torna numa grande árvore, mas uma árvore nunca está feita, precisa que a alimentamos diariamente para que nunca seque.
    Esta é a VOSSA experiência DE 33 ANOS anos de vida em comum,
    e a Vossa árvore continua a despontar para o céu, assim como o Vosso Amor, EM VOSSAS GERAÇÕES!

    ResponderExcluir
  7. Sabe Rosane, eu procuro viver meus dias como se fossem o ultimo. Não sei qdo chegará a minha hora, mas a certeza de que ela vira me impede de perder qualquer oportunidade...seja a de apenas ouvir alguém que precisa, ou seja parar para comtemplar toda a beleza e grandiosidade da dádiva de ainda estar por aqui tentando fazer o meu melhor. Muito bom vir aqui, saio renovada, Grande beijo à vocês dois.

    ResponderExcluir
  8. Bom passeio! Divirtam-se! :-)

    Beijão!

    ResponderExcluir
  9. Aproveita querida!
    Adorei esse texto, é muito difícil saber o que fazer com as pessoas estão passando por dores tão intensas perto de nós, obriga pela lição.
    Te amor vozinha!

    ResponderExcluir
  10. Uma bonita lição de vida, Rô! Lindo post!
    Aproveita o passeio!
    Bjim.

    ResponderExcluir
  11. Linda mensagem Vó! =)

    Que maravilha comemorar o niver de casamento indo ao Santuário!
    Linda Semana, Vó!
    Beijinhos

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails