segunda-feira, 30 de julho de 2012

Bagunça ...





Bagunça
por Frei Fabiano Aguilar Satler, ofm

Nada parece ser mais infrutífero do que a tentativa dos pais – da mãe, principalmente – de inculcar nos seus filhos, crianças e adolescentes, o sentido de asseio, limpeza e organização. Para muitas mães, é uma batalha constante e, aparentemente, perdida. Crescemos com as reclamações conhecidas de todos: não deixar a roupa da escola espalhada pelo quarto, juntar os brinquedos, guardar os calçados, tomar banho, esfregar as "caracas", arrumar a cama, guardar o material escolar. A lista é longa. Quanto maior a lista, mais impotente parece se sentir a mãe.

Lembro-me perfeitamente da pequena estória repetida inúmeras vezes para ilustrar a necessidade de manter as coisas no lugar. "Um rei precisou escolher um novo serviçal para o seu palácio. Bem à entrada da sua sala, deixou uma vassoura caída em meio ao chão, atravessando o caminho. Veio o primeiro candidato, passou sobre a vassoura e dirigiu-se ao rei para ser entrevistado. O rei dispensou-o imediatamente. Veio o segundo e, como o primeiro, ignorou a vassoura no chão e também foi dispensado. O mesmo se passou com o terceiro e com o quarto. O quinto candidato, entretanto, ao atravessar o salão, notou a vassoura caída no chão, apanhou-a e guardou-a encostada à parede." O leitor já pode imaginar quem foi o candidato escolhido e a moral da estória.

Para muitos filhos, a lição e o exemplo demonstrados à exaustão durante a infância somente vão surtir efeito quando eles se tornarem adultos. A Elis Regina poderia glosar a letra da sua música carregada de verdades e cantar: ainda limpamos e arrumamos as nossas casas como os nossos pais. Afinal, como morar, trabalhar, rezar, ler e escrever num ambiente desorganizado e entulhado de coisas?

Há um pequeno segredo que nos ajuda nessa tarefa de manter a nossa casa limpa e arejada: não acumular (vale uma exceção sadia para os livros…) Quanto mais objetos, badulaques e penduricalhos dentro da casa, mais difícil vai ser fazer a limpeza. A nossa sociedade atual é eficiente quando se trata de nos fazer acreditar que precisamos disto ou daquilo para viver com maior conforto ou para adquirir um status que almejamos. Alguém costumava brincar: vamos ao shopping center para ver quanta coisa não precisamos para viver?

A outra face da moeda é quando o cuidado com a limpeza se torna excessiva. Uma sabedoria atávica em nós nos diz que todo excesso é patológico, é doentio. Os entendidos certamente saberão explicar os mecanismos psicológicos de uma obsessão desse tipo. No outro extremo, há uma falta de asseio e desorganização que são igualmente doentios. Mais uma vez, Freud explica.

.......

Não é somente meu quarto o lugar onde gosto de manter ordem e as coisas no seu lugar. Também o coração precisa de faxinas regulares. Num processo quase imperceptível, transportamos para dentro de nós esse mesmo gosto pelo asseio e pela simplicidade.

A escrita é uma boa vassoura. Escrever é uma maneira de colocar ordem nas idéias, de organizar os sentimentos no seu devido lugar e de lustrar as percepções. Tudo isso para que o nosso coração se torne uma pousada aconchegante, pronto para acolher todos aqueles que o bom Deus nos confia ao longo dos nossos dias.

Aproximem-se, leitor e leitora amigos. A porta está aberta. Há pão sobre a mesa, o chão está minimamente varrido e o fogão à lenha está aceso. Sejam bem-vindos.



Beijos meus cheios de luz, paz, amor, fé e esperança!  



2 comentários:

  1. Rô,

    Já fui muito organizada, mas quando sai do Brasil eu estava tão estressada com o excesso de organização no meu trabalho, que dei uma parada.
    No momento, estou tentando me organizar novamente, mas não daquela forma, que acaba ficando cansativa.

    Quando temos nossas coisas organizadas, temos mais tempo para as outras coisas, como lazer etc.

    Gostei da parte que falou sobre o acúmulo de coisas que acumulamos. Eu, que me achava um pouco organizada, fui destralhar e tirei duas caixas e um saco enorme pra doar. O pior, foi descobri que haviam ali, coisas que trouxe do Brasil há três anos e nunca havia usado.
    Aprendi muito com isso.

    Tenha uma linda semana. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Você, querida amiga Rosane, sabe escolher assunto de categoria! Amei esse e tudo o que é seu! Grande abraço e beijos!

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails