sábado, 4 de fevereiro de 2012

Reflexões sobre flores e jardins”


"Superfície, Profundidade, Tempo e Eternidade
Reflexões sobre flores e jardins”




Existem os caminhos do mundo, e existem os caminhos da alma.

Pouco sabemos acerca dos caminhos do mundo; menos ainda acerca dos caminhos da alma...

A estrada de tua vida, a que paisagens ela te conduzirá?

Existe a superfície; e existe a profundidade.

Vivenciamos o tempo; mas habitamos também a eternidade.

A superfície é tempo; a profundidade, eternidade.

Contemplamos a beleza das coisas que repousam na superfície com os olhos do corpo.

A beleza daquilo que repousa na profundidade, com os olhos da alma.

Há na superfície muito além do que nossos olhos podem almejar ver.

Na profundidade repousa muito além do que somos capazes de conceber.
A superfície é bela e é importante;
Igualmente bela e essencial, a profundidade.

Somos passageiros do tempo; e viajantes da eternidade.
A poesia que há na superfície; repousa também na profundidade.
Uma antiga tradição oriental nos ensina que devemos cuidar dos assuntos do mundo físico como se fôssemos viver aqui para sempre…

E que, por sua vez, devemos cuidar dos assuntos que dizem respeito ao espírito como se fôssemos deixar para trás este mundo terreno, e partir, nesta mesma noite.

O que significa permanecer atento às questões materiais como se fôssemos viver neste mundo físico para sempre?

E o que significa cuidar das questões espirituais como se estivéssemos na iminência de deixar para trás este mundo material?

Cuidar das questões temporais significa procurar ser um bom pai, um bom filho, um bom cônjuge, um bom avô, um bom neto, um bom irmão.

Cuidar das amizades, da nossa saúde física e emocional, dos nossos desafios escolares, acadêmicos e profissionais como se fôssemos viver aqui para sempre.

Recordar que as questões materiais encontram-se intimamente interligadas às questões espirituais, e influenciam decisivamente o nosso desenvolvimento interior.
Aproveitar os efêmeros anos da nossa existência terrena, os dias e as noites com os quais fomos contemplados, para nos aprimorarmos e evoluir nas sendas espirituais.

“Ó Amigo! No jardim do teu coração nada plantes salvo a rosa do amor.”

Nos aconselham as Escrituras:
“Bem-aventurados os que buscam com mãos puras.”
“Bem-aventurados os que buscam a Luz.”
“Bem-aventurados aqueles que, com confiança, encontram o caminho da Luz.”
“Bem-aventurados os que aspiram tornar-se Filhos da Luz.”
“Bem-aventurados os que têm fome e sede de Justiça.”
“Bem-aventurados os puros de coração.”

Aproveitar esta frágil e inestimável experiência terrena para nos aproximarmos do Mistério Sublime que repousa para além dos ponteiros do relógio e das folhas do calendário.

A busca constante da serenidade através do refinamento espiritual.
O retorno à poética;
E o resgate da espiritualidade.

Recordar que “não estamos neste mundo pátria definitiva, mas estamos a caminho do que há de vir.”
A superfície é tempo; a profundidade, eternidade.

(Desconheço o autor)
um_peregrino@hotmail.com















beijos meus, cheios de
luz, paz, amor, fé e esperança!




2 comentários:

  1. vim te convidar pra participar do sorteio no meu blog ficarei muito feliz com sua participação
    bjinhosssss!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Rô amiga querida, aqui encontro sempre harmonia, suavidade e sobretudo lições para a vida.
    Que lindo! deparar com uma verdade nem sempre lembrada e vivida nos faz refletir sobre o nosso papel e a nossa caminhada pela vida.Isto nos revigora e nos aperfeiçoa. Obrigada!
    Seja feliz.Bjs Eloah

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails