segunda-feira, 4 de outubro de 2010

"Alegre-se" EE de Inácio de Loyola

Em tempos de tibulação manter-se alegre e agradecido é muito importante e gratificante.


glitters



Para uma leitura orante:

ALEGRIA

Mas ouçamos São Paulo diretamente: “Sinto-me grandemente confortado e transbordante de júbilo em toda a tribulação” (2 Cor 7,4). Se há censura que não se pode fazer a São Paulo é não saber o que seja tribulação! Mas transborda de alegria! E se transborda de alegria é porque recebeu esse deslumbramento de Deus: de Deus que reconhecia como o Deus de Abraão, de Isaac, de Jacó, o Deus dos Pais, mas também desse Deus que se lhe revelou no caminho de Damasco ... “Aqueles que uma vez foram iluminados (que receberam esse deslumbramento de Deus) e provaram o dom celestial e se tornaram participantes do Espírito Santo e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro...” (estes são discípulos – ver Hb 6,4)... “Alegrai-vos sem cessar, o Senhor está perto, que vossa moderação – bondade, benignidade – seja conhecida de toda gente” (Fl 4,4). É porque o Senhor está próximo que devemos estar felizes!
Alguém me dirá que isto não é fácil. Mas é preciso crer! É uma palavra inspirada! “O Senhor está próximo. Não vos inquieteis com nada”. Não nos diz que não tenhamos preocupações. Seria ridículo. Mas nos diz par anão cultivá-las. Ora, por vezes, acontece-nos cultivarmos preocupações, como essas plantas de apartamento, que regamos cuidadosamente para fazermos crescerem... Não, não cultivemos nenhuma preocupação!
Lembrem-se de Jonas, o profeta que cansou de ser profeta! Jonas desconfia de Deus, porque sabe que Deus vai obrigá-lo a dizer coisas terríveis contra Nínive. Mas isso não é tudo: Jonas sabe que, depois disso, Deus é capaz de, na última hora, perdoar! Como ficará Jonas, depois de ter predito coisas medonhas e Deus perdoando na última hora, sem nada acontecer? Por isso ele, em lugar de se dirigir para Nínive, toma o caminho oposto: rumo à Espanha...
Conhecem o resto: não há jeito de escapar de Deus. Jonas, finalmente, chega a Nínive, anuncia as novas durante alguns dias. Depois, retira-se, vai descansar um pouco. Está muito calor, e Deus, em sua bondade, faz nascer um pé de mamona, para proteger Jonas com sua sombra. Mas um verme se mete na raiz e o pé de mamona seca. “Não cultiveis nenhuma preocupação”, diz São Paulo. Mas Jonas está preocupado com o pé de mamona, que está secando. Só pensa nisso! Então, o Senhor lhe diz: “Jonas, tu te preocupas com a planta, e esqueces a grande cidade com seus milhares de habitantes. Ela me preocupa, e não o teu pobre pé de mamona! É a grande cidade que me preocupa! (cf. Jn 4,6ss).
“Não cultiveis preocupações”, nos diz São Paulo. É fácil de falar! Mas, logo em seguida, nos diz como dar graças e nos alegrarmos: “Em tudo, porém, sejam conhecidas diante de Deus as vossas petições (pois Paulo sabe que temos precisões! Ele também as tem e mais do que nós, dificuldades mesmo!), pela oração e pela súplica com ações de graças” (Fl 4,6). Temos aqui como que um mini-tratado de espiritualidade: “Em todas as necessidades recorrei à oração”. Há pouco ouvimos de Santa Teresa de Jesus: “O encontro de amizade com esse Deus de quem nos sabemos amados” – um grande silêncio com Deus. Seu que me ama. E eu o amo. São Paulo acrescenta, depois de ter mencionado a oração: Batei e vos será aberto, pedi e recebereis” – é a oração de petição de que nos falou o Senhor no Evangelho.
Que essa oração e esse pedido sejam “penetrados de ação de graças”, de agradecimentos. Nossa vida cristã é uma vida toda nova com o Cristo, no qual somos ressuscitados, É uma vida de ação de graças. Uma vida eucarística. É a palavra: EUCARISTOI – sede gente de ação de graças, que agradece pela CARIS, a graça que receberam. Assim nosso Sacrifício da Nova e Eterna Aliança se chama também “Eucaristia”, isto é “a boa ação de graças”.
Então, sim! Não cultiveis nenhuma preocupação. Em toda a necessidade recorrei à oração “e a Paz de Deus, que ultrapassa toda a compreensão, tomará sob sua guarda vossos corações e vossos pensamentos em Cristo Jesus” (Fl 4,7).
Assim termina esta passagem de Filipenses... diante das maravilhas de nossa fé, que nos enchem de alegria, as teorias e as disputas e as interpretações nos parecerão pálidas e desinteressantes....
Os primeiros cristãos a quem Paulo escrevia, ignoravam, por acaso, a doença, a morte, a perseguição, a dor? Ele próprio está na cadeia quando escreve seus hinos à alegria, e as prisões romanas não eram hotéis... Sabe do que está falando quando diz que é para se viver “em ação de graças” (2Cor 11,23-29)... Para ele o cristão, “como se visse o invisível, permanece firme” (cf. Hb 11,27). Pelo contrário, o não crente é quem” não dá glória nem ação de graças a Deus” (Rm 1,21)...
Encontramos aqui a grande atitude: em tudo dar graças a Deus (Rm 14,6). Era o que já dizia o Profeta: “Como o noivo se alegra pela noiva, assim de ti se alegrará teu Deus”(Is 62,5). Eis o que Deus espera de nós: sermos sua alegria. São Paulo também acrescenta:  “O Reino de Deus é justiça, paz, alegria no Espírito Santo”(Rm 14,17).
Existirá palavra mais bela, que penetre mais profundamente no coração do que a do Profeta Miquéias, quando, depois de haver predito tantos oráculos de destruição, nos transmite a palavra de Deus:
“Ele te demonstrou, ó homem, o que é bom
e o que o Senhor pede de ti:
que pratiques a justiça
e ames a misericórdia
e andes humildemente
com o teu Deus”
(Mq 6,8)
(...) Em resumo, é a mensagem, a única mensagem de Nossa Senhor: “minha alma se rejubila no Senhor, exulta o meu espírito em Deus, meu Salvador”. Estamos de novo na alegria e no júbilo. Mas por que este estremecimento de alegria em Deus? Por quê? “Porque lançou o seu olhar sobre a humildade de sua serva”. A alegria cristã, a alegria de Nossa Senhora resulta a um tempo da grandeza de Deus, do deslumbramento com Deus, das divinas promessas e misericórdias de Deus ... e também da própria pequenez nossa...
A Igreja, serva e pobre encontra em Maria o seu modelo... O próprio Nosso Senhor “exultou de alegria sob a ação do Espírito Santo” (Lc 10,21). E disse: “Eu te dou graças, ó Pai, Senhor do céu e da terra, por teres escondido essas coisas aos sábios e entendidos e porque as revelastes aos pequeninos.”
(Jacques Loew, Jesus, chamado o Cristo, Eds. Paulinas / SP, 1974, pp. 290-299)
FONTE AQUI


BEIJOS DE UMA LINDA E SAUDÁVEL SEMANA PARA TI!
CHEIA DE LUZ, PAZ, AMOR, FÉ, ESPERANÇA E MUITA ALEGRIA!
ROSANE!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Paulo também dizia que quem segue a Cristo deve morrer um pouco todos os dias. Morremos para as coisas fáceis deste mundo. Fáceis, para mim, está muito além do conceito de certo e errado: é ao próximo dentre outros valores intrinsecamente humanos.

    Beijão, Rô

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails