quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

"E DEUS NISSO TUDO??? - por LEONARDO BOFF -

  • S. Francisco e Orquídeas

  • Pintor Paulo Tonon


Face às grandes tragédias que a Mãe Natureza vem nos proporcionando com, chuvas de 40/50 dias sem parar, inundando cidades, megalópolis como São Paulo. Tragédias como o terremoto do Haiti. Nosso querido sul do Brasil, com tufões e furacões.No nosso nordeste com secas que não tem fim. No mundo inteiro como na Ilha da Madeira recentementemente...enfim, a Mamãe Natureza está mesmo muito brava conosco. Também, nãoé pra menos, o que fizemos com Ela, ninguém dá conta.
Tanta devastação, tanto lixo jogado em seu manancial de água, pura, limpa e cristalina que ao longo dos milênios foram literalmente se transformando em lixeiras.
Pós feriado de Carnaval estive em Campos do Jordão, interior do estado de São Paulo com meu marido. Ele me levou para conhecer um trecho da serra que ele novamente vai percorrer a pé em Maio próximo. É inadimisível a quantidade de restos de lixos que se encontra no caminho. Um caminho extremamente lindo e feito somente pelas mãos de Deus mesmo. Porque será que o homem faz isso? Será que na sua casa ele faz o mesmo???
Frente a tanta tragédia com perda de irmãos aos milhares eu me fiz uma pergunta. Pergunta essa que Leonardo Boff me respondeu prontamente com  capacidade e dom que o Senhor lhe deu::..

E Deus nisso tudo?

Por Leonardo Boff

Face à convulsão elementar da natureza no sudeste asiático com milhões de vítimas, especialmente de inocentes, não são poucos que, angustiados, se perguntam: E Deus nisso tudo? Ele não é bom e onipotente como anunciam as religiões? Se é onipotente, pode tudo. Se pode tudo porque não evitou o maremoto? Se não o evitou, é sinal de que ou não é onipotente ou não é bom. Como disse um poeta-cantador: se é para desfazer, por que que fez?

Desde que o ser humano discerniu a presença de Deus no universo e em sua vida esta contradição representa uma chaga aberta. Os teólogos cristãos inventaram a teodicéia, vale dizer, a argumentação que procura isentar Deus das desgraças do mundo e ainda esclarecer o sofrimento. E fracassaram rotundamente, porque esclarecer o sofrimento não acaba com ele, assim como ler receitas culinárias não faz matar a fome. Dai entendemos a contundência de Jó, o eterno protestante, contra todos os seus "amigos" (e ai incluo a mim como teólogo e todas as religiões) que lhe queriam explicar o sentido da dor: "Vós não sois senão charlatães e médicos de mentiras. Se ao menos vos calásseis, as pessoas tomar-vos-iam por sábios". E continuamos a não nos calar.

Face a esta situação dilaceradora podemos alimentar, penso eu, três atitudes: de revolta, de resignação e de esperança contra todo absurdo.

A revolta se expressa por uma negação. Muitos dizem: Deus não existe. E se existir, é inaceitável, pois teríamos mais perguntas a fazer a Ele do que Ele a nós. Eu me recuso eternamente a aceitar uma criação de Deus na qual as crianças tenham que sofrer inocentemente. Este questionamento é compreensível e lógico. Mas ele não elimina o mal, pois este continua. Críticos, perguntamos: a razão é tudo? Deus pode ser aquilo que não podemos entender.

Se a revolta não responde, talvez a resignação? Esta realisticamente constata: a realidade é feita de bem e mal. É ilusório buscar a superação do mal, pois bem e mal vêm sempre juntos como a luz e a sombra. Sabedoria é buscar o equilíbrio e a aprender a viver sem uma esperança final. Freud e os sábios do Primeiro Testamento aconselham:"aceita o princípio de realidade, modere o princípio do desejo; acolha o que te acontecer, mostre grandeza na dor". Esta atitude é nobre, modifica a pessoa, mas não muda a realidade brutal.

A terceira atitude é a da esperança apesar de tudo. Parte reconhecendo claramente: o mal é um mistério indecifrável. Ele está ai não para ser compreendido, mas para ser combatido. Por isso não é uma teoria que lhe dará sentido, senão uma prática. Desta nasce a esperança de que em tudo deve haver um sentido secreto para além do escândalo da razão. Ele se manifesta, por exemplo, no milagre de uma criança de três meses que se salva sobre um colchão que flutua nas águas revoltas ou na solidariedade do mundo todo para com as vítimas.

A solidariedade não elimina a dor, cria a irmandade dos sofredores que impede a solidão e o desespero. Os cristãos e os budistas dizem: Deus não ficou indiferente ao sofrimento. Ele sofre junto. Andando no exílio da encarnação, gritou:"Meu Deus, por que me abandonaste"? A paixão de Deus na paixão do mundo nos faz crer que a esperança tem mais futuro que a brutalidade dos fatos. Deus prometeu que "não haverá mais pranto, nem luto nem morte porque tudo isso passou". No entanto, o mistério continua mistério e como dói!.

  • S. Clara e Orquídeas

  • Pintor Paulo Tonon
 
E você, o que pensa de tudo isso?
Tem jeito de melhorar? Pelo menos um pouquinho que seja???
Precisamos urgentemente limpar o nosso Planeta se não...


Beijos e beijos!
Rosane!


3 comentários:

  1. E isso querida rô....tanta tragêdia estristece o coração da gente,mas somos culpados.....eu ando muito chateada de ver o sofrimento das crianças especialmente.....e insuportavel para mim acreditar que uma criança chora e seu anjo de guarda não pode intervir para ajuda-la....meu coração fica dilacerado.....nem mandei minha filha para a escolinha ontem e talves nem mande hoje....fico aborrecida e triste com tanta falta de amor.
    Deusa
    vasinhos coloridos

    ResponderExcluir
  2. olá querida,
    que banner lindo, que post maravilhoso.
    vim te convidar se vc puder,

    ResponderExcluir
  3. Olá amigos!
    Está acontecendo até o dia 07/03 a BlogagemColetiva,
    proposta pelo blog http://fio-de-ariadne.blogspot.com
    Meu Oscar Vai Para:
    Venha conferir e comentar minha participação no:
    http://sempretensoesamorcontos&causos.blogspot.com/
    Boas energias
    Mari Amorim

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails