terça-feira, 28 de julho de 2009

-Dias difíceis-

Esses estão sendo dias difíceis para mim e meu esposo.
Ainda não consegui descobrir por que passamos por tantas provações.
Os filhos apontando nossas falhas, principalmente por coisas que no passado, ao dar-lhes a educação que hoje eles tem, falhamos, ou não???
Não sei são dúvidas que pairam em nossas mentes e vão machucando nossos corações.
Temos medo de querer ficar passando de vítima, sentimento que detesto.
Meu esposo não é muito de conversar com os filhos.
Tem aquela postura antiga, aquele ranço de uma educação que lhe ensinou que Pai não pode ter muita intimidade com os filhos. E sofre por isso.
Quer mudar mas é difícil.
Eu vou tentando coordenar as coisas com o jeitinho que toda mãe tem.
Mas está cada vez mais difícil, pois estou me cansando e isso não pode e nem deve acontecer. Procuro e sempre procurei se uma mãe muito presente na vida de meus filhos, mas acredito que está na hora de deixar que cada um siga suas vidas do jeito e da maneira que mais lhes seja melhor.
Nós, pais, temos a eterna mania de acharmos que nós é que decidimos a vida de nossos filhos, sendo que não deixamos que nossos pais fizessem isso por nós. Então porque exigir deles, algo que não queremos para nós.
Frente a isso está decidido, parei, fui...não quero mais intervir na vida dos meus filhos. Fiz a minha parte, acredito que a fiz e muito bem feita. De agora em diante será por conta deles.
Também errei, também caí, também levantei e quando precisei sempre tive o apoio e ajuda de meus pais.
De agora em diante nada mais de perguntas, questionários infindáveis.
Não recomendo essa postura minha para àqueles que têm seus filhos pequenos e adolescentes, não, ainda é muito sedo . Vocês tem por obrigação em saber e fazer perguntas sim.
Mas digo para os pais que tem filhos já criados, casados e maduros como os meus.
Tenho mais é que viver minha vida junto com meu esposo e nos preocuparmos um com o outro.
Cuidarmos um do outro e isso nos basta, isso me basta? Não, não basta Deus bem sabe disso.
Continuarei junto mas do lado, ou atrás ou na frente se preciso for. Mas meio que de fantasminha, quieta, silenciosa assim como toda mãe e todo pai deve ser. Se precisarem lá estaremos e serviremos, pois não viemos para ser servidos e sim para servir.
Tenho plena certeza de que tudo isso vai passar.
Pois...
"Tudo posso naquele que fortalece"


Carta às Mães

Casimiro Cunha


Minha irmã, se Deus te deu
A luz da maternidade,
Deu-te a tarefa divina
De renúncia e bondade.

Busca imitar no caminho
A Rosa de Nazaré,
Irradiando o perfume,
De amor, de humildade e fé.

Lembra sempre em tua estrada
Que a paz de tua missão
É feita dessa ternura
Que nasce do coração.

Contempla em cada filhinho
Um luminoso sorriso
Da alegria dolorosa
Que te leva ao paraíso.

Porque, ser mãe, minha irmã,
É ser prazer sobre as dores,
É ser luz, embora a estrada
Tenha sombras e amargores.

Ser mãe é ser a energia
Que domina os escarcéus,
É ser nas mágoas da Terra
Um sacrifício dos céus.

Pensa nisso e não duvides
Da grande misericórdia
Que te deu na senda escura
A lâmpada da concórdia.

Ouve, ainda. Tem cuidado
Como o teu próprio coração.
Não deixes que se transforme
O teu amor em paixão.

Muita vez, a mãe terrestre
Em vez de salvar, condena,
Porque do amor que redime
Faz a paixão que envenena.

Há muitas mães nos Espaços
Chorando na desventura
Os perigosos desvios
De sua imensa ternura.

Ama o filho de outra mãe
Qual se fora teu também
E estarás santificando
Teu lar nas luzes do Bem.

Castiga amando o teu filho
Em teu carinho profundo.
Prefere o teu próprio ensino
Às tristes lições do mundo.

Recorda que está contigo
A missão de renovar,
De corrigir perdoando,
De esclarecer e ensinar.

Nos teus exemplos repousa
A esperança do Senhor,
Que há de salvar este mundo
Por meio de teu amor.

(Casimiro Cunha nasceu na cidade de Vassouras, no Rio de Janeiro, em 1880, e desencarnou em 1914, com apenas 34 anos. Um acidente cegou um de seus olhos quando tinha apenas 14 anos. Aos 16, ficou cego do outro. Não foi além da escola primária. Era forte, bem-humorado e cheio de fé. Após a sua desencarnação, deu-nos dezenas de poemas pela psicografia de Chico Xavier, como o acima, constante do livro “Mãe”, da editora “O Clarim”.)


É do conhecimento de todos o carinho e o respeito que tenho por Chico Xavier!

Tenham uma lindo e maravilhoso dia, repleto de luz, amor, fé e esperança.

Rosane!

5 comentários:

  1. Querida Ro,
    É assim mesmo, perfeitos não somos, mas precisamos passar por certas provações nessa vida. Reze por eles, se hoje eles não querem suas opiniões, tenha a certeza que a oração de mãe chega ao céu, e logo vai melhorar. Reze muito, terços, missas, oferecendo sempre por seus filhos, marido, e pedindo que acalmem os corações. Pode ter a certeza que Deus estará cuidando!
    E conte com minhas orações!
    Grande abraço carinhoso!!

    ResponderExcluir
  2. Rô, esta é uma fase que eles passam. Deixe-os.
    Daqui a pouco lá estão eles de volta, se arrastando. Filho é assim mesmo, eles acham que são sábios mas não conseguem viver sem a gente.

    Beijão do amigão

    ResponderExcluir
  3. Rô, tudo nessa vida passa. E tudo serve como experiência. Família é assim mesmo, estamos juntos para aprender uns com os outros. Não sou mãe, mas sou filha, e acho que os pais, apesar de querer o bem dos filhos, nem sempre estão certos, pois ninguém é perfeito mesmo, a diferença é que muitos não admitem seus erros e isso piora a situação. Mas Rô, acho que sua decisão está certa, deixe seus filhos quebrarem um pouco a cabeça e aprenderem com a vida, a gente precisa disso, aprender com os próprios erros. E esteja sempre pronta para acolhê-los quando precisarem de colo, sei que isso é sua especialidade (colinho de mãe). Siga sua vida fazendo o que acha certo, com sua consciência tranquila. E Deus, que é nosso Pai maior, iluminará a todos. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Rô querida... sinto muito por vocês estarem passando por mais estas provações. Queria te abraçar bem forte agora, se pudesse te dar um pouco de paz pra enfrentar tudo isso.
    Saiba que estou contigo, de qualquer jeito!

    "Nós, pais, temos a eterna mania de acharmos que nós é que decidimos a vida de nossos filhos, sendo que não deixamos que nossos pais fizessem isso por nós. Então porque exigir deles, algo que não queremos para nós."

    Viu? Você é uma mulher muito sábia, mãezinha! Tenho certeza que você fez tudo o que podia por seus filhos.E tenho certeza também que eles reconhecem isto!

    Te amo muito, viu?
    Hoje meu bloguinho tá de aniversário!

    Beijão no seu coração lindo!

    ResponderExcluir
  5. Rô,
    Falar de filhos as vezes é difícil... Mais difícil ainda é deixar que ele se vá, levado pelas mãos de suas namoradas, pela mão da vida, seguir em frente sem a nossa proteção.
    Tenho uma irmã que criou seus filhos para viver ao redor dela... Ela não permite que eles saiam de sua volta, os retém como numa redoma. Ela confessou a mim que tem medo do marido...
    Eu tenho um de 16 anos. Sei bem o que é isso! Ele não me chama de mãe, e a gente briga feito dois adolescentes mesmo!!!
    Mas já sei que ele não é meu, mas do mundo...
    A perda é dolorosa mas necessária...

    Tem uma mensagem do Espírito André Luiz para vc no Vidas Linha: http://vidaslinha.blogspot.com

    bjão

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails