sábado, 8 de novembro de 2008

As duas canções de um homem

imagem aqui


As duas canções de um homem
e os sons secretos da cítara indiana

Rubem Alves - 1993 - Revista Reformador



Bom lembrar, a quem não sabe que a cítara é composta de duas camadas de cordas superpostas, uma sobre a outra, muito próximas, sem nunca se tocarem. A camada de cima é sensibilizada pelo músico, e a de baixo não pode nunca ser tocada pelos dedos.

Quem pouco entende dos segredos sonoros pode perguntar-se por que razão um instrumento musical tem cordas que não são tocadas. A beleza desse mistério está justamente na harmonia que enlaça as duas camadas.

Os dedos não tocam a de baixo para que suas cordas possam vibrar pela magia de uma coisa muito mais sutil que os dedos.

Tangidas pelos sons que brotam das primeiras, elas reverberam e fazem nascer uma outra música, diversa daquela que o artista produziu.

Eis o segredo.

Eis a sensibilidade.

Olhemos agora para nós.

Quem sabe sejamos cítaras humanas, que vivem dentro de um encanto chamado vida, provocado pelo carinho criador de Deus;

Lá dentro, no fundo de nossa essência, estão as segundas cordas de uma única verdade, que os dedos nunca tocam, mas que fazem ouvir uma outra voz, a vibrar pelos escaninhos do silêncio...

Vem de lá uma canção imortal, jamais tocada, mas que, se ouvida, pode dizer muito de nós. Talvez seja esta a melodia diferente que os bons médiuns ouvem.

Aqueles que lêem com amor o não-dito das palavras humanas, separando a mentira da verdade, o joio do trigo, e escolhendo o bem. Talvez seja, essa música oculta, a melhor definição de amizade.

Afinal, o que um amigo faz senão educar-se para escutar nosso silêncio, que às vezes busca um abraço, um momento de atenção para aplacar sua melancolia?

Um amigo é também algo mais. É aquele que faz do seu sossego um recanto confiável, onde o outro pode guardar seus segredos e não ter medo de perdê-los.

Um amigo é aquele onde nossa segunda pauta encontra eco, porque sabe que no âmbito da amizade a solidão é um convite ao recolhimento,para que sejamos ouvidos, para que possamos reverberar.

Nos braços de um amigo, nossa solidão se dilui no suave aroma da partilha. Você, a quem muitos consideram verdadeiro irmão, pode treinar os ouvidos do sentimento para escutar uma nova melodia.

Preste, porém, menos atenção no que as pessoas irão tocar e mais nos sons daquelas cordas que nunca serão tangidas. Aproveite, também para apreciar a beleza da música que brota de todo lugar.

Aí escutará a segunda canção de Deus, convidando-o a que habite uma realidade nova: a de ser, finalmente, um bom e melhor amigo, que com muito amor, aprendeu a chamar os outros para fora da solidão



Bom fim de semana a todos(as)
Rosane!


8 comentários:

  1. Adoro os textos de Rubem Alves!!!

    Beijão, mãezinha! Que você tenha um final de semana abençoado!

    ResponderExcluir
  2. Que linda comparação do ser humano(a) com a cítara!
    Passei para te desejar um excelente fim de semana e te dar um abraço bem apertado.

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de pedir gentilmente a sua visita no Blog do Circulo Literario Barbarense, este circulo reúne escritores e artistas de Sta Bárbara , interior de Sp...Queremos o apoio e os comentários dos blogueiros que se preocupam com a Cultura, assim como vc, para difundirmos a Arte aqui na Cidade, precisamos do seu apoio, visite o blog, se puder deixe criticas e sugestões, pretendemos publicar trabalhos dos participantes. Contamos com vc , já que não podemos contar com as Autoridades, as quais não querem um povo intelectualizado.
    Grande Abraço!!

    ResponderExcluir
  4. Vovó, que coisa mais linda esse texto do Rubens Alves, fazendo uma analogia entre amizade e música... E talvez seja isso mesmo. Amizade e música devem mesmo ser interligados, porque as duas coisas nos fazem muito bem!

    Adorei o post, Vovó linda!

    ResponderExcluir
  5. Adoro os textos de Rubem Alves!!![2]

    Ele é inspirador, sempre!
    Vó, tava com saudades daqui... Beijos e boa semana! =)

    ResponderExcluir
  6. ô querida Rô!
    adorei mesmo sua casa! vou me sentir atraida a sempre visitar-lhe ok?
    ahh só uma curiosidade:vc é espírita???
    tem um blog que vi aqui no seu:Oficina espírita,gostaria muito de visitar,porém tem de ser convidado,se você conhecer os donos pode me indicar?eu gostaria muuuito de conhecer esse blog!

    adorei o texto sobre a cítara!realmente éum instrumento mágico en nós também somos!

    BOa Semana!um beijo no seu coração!Esteja sempre na pAz de DEus!

    ResponderExcluir
  7. Oi Rô

    Finalmnte apareci nest blog que tanto admiro. Não liga não, ando muito ocupada, e não tenho tipo tempo nem para publicar meu blog, quanto mais para visitas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Nossa, Ro, o texto é magnifico..
    Fiquei pensando muito os sons que eu realmente quero ouvir...

    Beijooo

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails