quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Amanhã Blogagem Coletica - HOJE É DIA DE CECÍLIA -



Photobucket

Chamada para blogagem coletiva amanhã dia 07/11/2008

Clique na imagem e participe



Se você que é amante da obra e da vida de Cecília Meireles e deseja fazer uma homenagem no dia de seu aniversário de nascimento que será amanhã 07/11 ainda da tempo. Clique na imagem e inscreva-se no Blog de Leonor Cordeiro Na Dança das Palavras, protagonista da Blogagem. Parabéns querida Leonor
por iniciativa tão gratificante.



E por falar em cecília um pouquinho do que acontecerá amanhã...




Aqui está minha vida.



Esta areia tão clara com desenhos de andar dedicados ao vento.


Aqui está minha voz,esta concha vazia, sombra de somcurtindo seu próprio lamento.


Aqui está minha dor,este coral quebrado,sobrevivendo ao seu patético momento.


Aqui está minha herança,este mar solitário que de um lado era amor e, de outro, esquecimento.

Ao lado ::- Cecília Meireles, em desenho de Apard Szènes






CECÍLIA MEIRELES


"Cecília levita, como um puro espírito...Por isso ela se move, "viaja", sonha com navios, com nuvens, com coisas errantes e etéreas, móveis e espectrais, transformando em pura poesia essa caminhada. Uma das excepcionalidades de Cecília Meireles: a composição de uma poesia densamente feminina, não apenas a poesia feita por alguém que é mulher, mas obra de mulher, de um sem número de perspectivas sobre as coisas que os homens não teriam, poesia na qual uma das grandes forças é a delicadeza, e delicadeza de poeta, que transfigura a vida em canto..."


Ana Cristina Cesar






Cecília Meireles nasceu no Rio, em 7 de novembro de 1901, mesma cidade em que morreu, a 9 de novembro de 1964. A menina foi criada pela avó materna, Jacinta Garcia Benevides



Minha infância de menina sozinha deu-me duas coisas que parecem negativas, e foram sempre positivas para mim: silêncio e solidão. Essa foi sempre a área de minha vida. Área mágica, onde os caleidoscópios inventaram fabulosos mundos geométricos, onde os relógios revelaram o segredo do seu mecanismo, e as bonecas o jogo do seu olhar. Mais tarde, foi nessa área que os livros se abriram e deixaram sair suas realidades e seus sonhos, em combinação tão harmoniosa que até hoje não compreendo como se possa estabelecer uma separação entre esses dois tempos de vida, unidos como os fios de um pano.


"Aprendi com a primavera a me deixar cortar. E a voltar sempre inteira."

FONTE DE INFORMAÇÃO E IMAGENS AQUI











Rosane!

3 comentários:

  1. Ai, vovó, queria tanto participar, gostei tanto da Importando Folclore! Mas realmente não tenho como, apesar de me ancontrar muitas vezes nas palavras dela, Cecília.

    Beijinhos, vovó lindona!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela linda escolha dos textos sobre Cecília.

    Estamos vindo aqui dar um alô de que a blogagem da Adocao comeca na Segunda-feira e termina no Sábado.

    Escolhe por favor um dia para postar o seu texto e nos avise por favor.

    Um abraco do Dacio
    http://casadefestas.blogspot.com/

    e da Georgia
    http://blog-blogagem.blogspot.com/

    um abracao

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails