quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Levando a vida a Sério








Renda-se, como eu me rendi.
Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.
Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento...



Clarice Lispector









LEVANDO A SÉRIO


Espiritualidade Inaciana

Por::-
Dr.Miltom Paulo de Lacerda

Quando se fala de levar a vida a sério, várias emoções podem provocar a rebeldia de nossa Criança interior. Ninguém gosta de imposições, muito menos nossa parte criança, que jamais desaparece, independente de nossa idade cronológica. Além disso, por que se há de fazer cara séria para se viver bem? É muito mais agradável viver na alegria, desfrutando das coisas bonitas e gostosas que a vida oferece. Que mal há em curtir o desafogo, a espontaneidade, a descompressão, quando ordinariamente já nos exigem tantas coisas, como as leis de trânsito, os regulamentos de condomínio, as filas de banco e tantas outras obrigações? Que prejuízo existe em nos soltarmos numa vida distendida e honestamente folgazã?

O problema, se é que é problema, é confundir o "sério" com o "triste" ou o "aborrecido". Triste se diz quando perdemos algo de valor: um objeto precioso, uma soma de dinheiro, um pleito na justiça, uma condução necessária, uma pessoa querida, uma amizade e assim por diante. Aborrecido, quando ao menos nos sentimos contrariados, obstaculados ou impedidos no curso das atividades, contestados em nossas opiniões ou corrigidos em nossas convicções. Sério, pelo contrário, significa algo que é adequado, apropriado, justo, correspondente à finalidade que pretendíamos.

Levar a vida a sério não precisa ser coisa triste ou aborrecida. Não precisa evitar o riso, o sorriso, o prazer, a alegria, a jovialidade e tudo o mais. Significa simplesmente fazer o que precisa ser feito para que tudo dê certo, para que tudo funcione perfeitamente, e os resultados sejam felizes e conforme o esperado. Assim, quem digita no computador leva a sério a escolha das teclas para que o texto ou a mensagem cheguem ao destino de modo legível e de acordo com a verdade pretendida. Quem está na direção de um automóvel precisa cuidar a sério não só do reto uso da máquina, mas também dos transeuntes e dos demais veículos. O dentista há de usar a broca na medida certa, para não causar danos à dentição do cliente. E assim por diante.

Justamente nesse sentido é que Jesus se pronunciou ao afirmar seu propósito de não revogar a Lei nem os Profetas (
Mt 5, 17-19). Sua vontade era - e continua sendo - a de dar-lhes pleno cumprimento, porque nesses escritos está impresso o Projeto de Deus para a humanidade. E os seres humanos só serão felizes na medida em que realizarem o que Deus planejou para sua felicidade. Em outras palavras, na medida em que cumpram a Vontade de Deus. Nisso o estarão glorificando e, ao mesmo tempo, conseguindo sua realização pessoal, porque estarão buscando o fim para o qual foram criados.

Milton Paulo de Lacerda.







Rosane!

2 comentários:

  1. Vovó, a frase da Clarice é simplesmente perfeita!

    E a autora do texto tem toda razão, não devemos confundir seriedade com tristeza ou com aborrecimento, mas às vezes fica meio difícil, né? Bom, pelo menos eu tento, prometo que eu tento...

    Beijinhos pra senhora!

    ResponderExcluir
  2. Clarice é muito boa. Gostei. Bjks e bom final de semana!!!

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails