sexta-feira, 9 de maio de 2008

O poeta João Batista do Lago

O Fim do Homem
© DE João Batista do Lago


Finda o Homem!
E finda na sua essencialidade
Quando atinge a capacidade
Do excesso…
E quando atinge a incapacidade
Da falta…
Finda pois, assim,
O Homem.
Nada mais há por Ser
Já que tudo existe no não-Ser.


Desejo hoje homenagear um poeta, vivo João Batista do Lago.
Não sou dada a tal coisa, mesmo poque não sou nenhuma crítica em literatura, mas quando gosto tenho por meta em minha vida passar aos que gostam de ler como eu coisas boas que nossos escritores brasileiros fazem.
Conheci João Batista do Lago pela internet em outro Blog que possuo, onde só publico meus trabalhos manuais. Não sou artista, sou uma pessoa simples e de palavras simples, apenas uma dona de casa que passa suas horas há trabalhar com as mãos para ocupar meu tempo,mas do que gosto mesmo é de ler. Também não sou dada a escrever, gosto é de devorar livros e mais livros, seja lá do que for, e uma das minhas paixões é a poesia. E as poesias desse autor Maranhense e Brasileiríssimo me encantam.
Desejo hoje mostrar aos que ainda não conhecem e com certeza irão se apaixonar o Poeta João Batista do Lago.
João Batista do Lago escreveu "Eu, Pescador de Ilusões" seu primeiro Livro de Poesias.
Leiam o comentário de Johannes de Silentio (*)



Sobre o poeta

"EU, PESCADOR DE ILUSÕES"
Arte e Literatura de Valor Intelectual e Filosófico

Johannes de Silentio (*)

Kierkegaard certa vez escreveu que “o poeta é o gênio da recordação”. E ele tinha razão. Isto faz do poeta um elemento fundamental num grupo social, que tem uma valiosa missão: registrar para as gerações presentes e futuras, através de sua arte: os sentimentos, as idéias e os fatos mais relevantes de seu contexto histórico específico. Não é uma tarefa fácil, pois exige não somente a técnica, mas acima de tudo, uma habilidade natural, uma vocação. O poeta louva e elogia o belo, porém da mesma forma censura e critica o inestético.
E nesta atividade do poeta é preciso liberdade de expressão, pois caso contrário sua tarefa se torna irrelevante. Sempre digo: o poeta é censor do clima intelectual e sentimental de seu tempo. E aqui temos um poeta brasileiro contemporâneo: João Batista do Lago com o seu primeiro e
esperamos não último livro de poesias – EU, PESCADOR DE ILUSÕES.
Com certeza as Musas, filhas do senhor do Olimpo, inspiradoras das artes, auxiliaram este autor a transformar a matéria bruta das intuições sensíveis e intelectuais em formas preciosas de expressão poética. É uma obra que consiste numa coletânea de poesias que nasceram numa fértil imaginação e que expressam uma grande variedade de sentimentos e reflexões. Exibem uma riqueza de palavras e idéias de ótima qualidade. Encantam com a beleza da forma e do estilo literário. Impressionam com a profundidade semântica dos conceitos trabalhados. Cativam com a relevância histórica política e social.Esta obra é fruto de uma mente genial e brilhante e que demonstra ser amante do saber. É uma obra plena de ideais nobres e humanitários, que fecundam não na mente de um jovem inexperiente e ingênuo, mas ao contrário, na mente de um “ancião”, que fluiu existencialmente na história por vários momentos antagônicos.Nesta obra é importante destacar o empenho intelectual de compreender o mundo percebido não como uma representação idealista, estática e alienada do tempo-espaço natural, mas pelo contrário, seguindo o exemplo pioneiro de Heráclito, uma tentativa de compreender o mundo numa representação realista e dinâmica.Percebe-se um elemento dialético, as vezes paradoxal, no movimento das palavras, neste fluir poético, que expressa um pensamento vivo e interessante. Poesias que procuram expressar adequadamente a realidade histórica e natural em constante movimento. São pensamentos que não pretendem ser a expressão de uma realidade eterna e distante, mas sim, o retrato de uma realidade viva e experimentada, em todas as suas contradições.O poeta João Batista do Lago, cidadão consciente e culto, nesta sua obra, expressa e reflete sobre variados temas. Com isto demonstra aptidão e conhecimento em várias áreas do conhecer humano: Filosofia, Arte, Antropologia, Sociologia, Mitologia, Literatura, Política, História, Ecologia e outras mais.Evidencia portanto não só a qualidade intelectual da obra, mas também a própria erudição do autor. Deste modo a obra não se limita somente a satisfazer o gosto estético do leitor, mas procura satisfazer também o gosto intelectual e às vezes apela até mesmo à volição.A obra não consiste somente numa coletânea de poesias com o fim de satisfazer o desejo pelo belo. Objetiva também a reflexão sobre a própria atividade reflexiva do homem, revelando seus potenciais e suas limitações, numa perspectiva dialética. Expressa o sentimento de finitude do homem, um ser que questiona o infinito e que busca respostas para questões transcendentes à própria existência natural.João Batista do Lago é um poeta, e nesta obra não só louva e celebra o belo, mas censura os abusos políticos, nacionais e internacionais, testemunhados pela nossa história contemporânea. Poesias que denunciam atos desumanos dos que estão no poder. É um poeta que incita a indignação. Censura por exemplo: a corrupção política, a exploração do pobre pelo mais rico, os agentes da injustiça social, a cumplicidade das instituições que preservam e reproduzem ideologias, a atividade tecnológica do homem que destrói a natureza. Poesias que até mesmo profetizam libertação social e fazem apelo à ação.Concluindo, “EU, PESCADOR DE ILUSÕES” é uma bela obra de arte, mas também, uma peça literária de valor intelectual e filosófico muito grande. Uma obra que exige, portanto, um tempo razoável de reflexão, pois toca em temas complexos e profundos da existência humana. É uma obra relevante para o homem contemporâneo, pois fala do que aconteceu e acontece aqui e agora. Será também uma obra de relevância histórica, retratando o sentimento e pensamento de um cidadão culto, que no seu tempo refletiu criticamente a história política e social.———-(*)
Johannes de Silentio (Paulo Sérgio Alves) é Teólogo e profissional liberal da área de Processamento de Dados.
= = = = = = = = = =

Termino essa pequena homenagem ao Poeta vivo João Batista do Lago com suas próprias palavras em resposta do porque escrever um livro::-

A poesia lapida o diamante bruto. A poesia amolece o coração xucro. A poesia vê a beleza onde os olhos enxergam apenas mísera tristeza. A poesia desvela e revela a alma do povo em cada nova palavra como novo alvorecer. A poesia transforma o ser. A poesia briga. A poesia deblatera. A poesia chora. A poesia ri. A poesia ama e odeia e grita. A poesia anoitece no amanhecer, assim como amanhece no anoitecer. A poesia acontece em qualquer ser. A poesia é filosofia e também sociologia. A poesia é deus e o diabo. A poesia é Horácio, é Hesíodo. É Heráclito. É Safo. A poesia é Aristóteles e Platão. A Poesia é Ésquilo e Sófocles. A poesia é Jesus e João Batista, Herodes e Salomé. E Lúcifer. A poesia é feita de Hércules e de Náusicaas. E de Ulisses. A poesia é vida e morte. A poesia é azar e sorte. A poesia é língua, fala e linguagem. A poesia é Paidéia. A poesia é Arete ou Areta. A poesia é.

Essa sim, é a verdadeira resposta à pergunta do meu sobrinho e a verdadeira razão deste livro (e-Book).Mas, também (e por dever de ofício), devo declarar que este livro resulta do meu reencontro com o poeta e jornalista Mhário Lincoln, em Curitiba, Paraná, onde resido e ele também, bem assim com os poetas Nauro Machado e Marconi Caldas, por telefone, ambos maranhenses, e eternos amantes fugazes da Ilha do Amor, meus conterrâneos e mestres, que se empenharam no incentivo de me levarem a esta empresa.Também devo declarar que uma pessoa muito especial, por nome Eloísa Alonso (conheci-a na Internet), que me cognominou de “João Poeta”, transformou-se em uma incentivadora contumaz a partir do instante em que conheceu as minhas poesias.A todos o meu eterno agradecimento.


Quem é João Batista do Lago::-
João Batista do lago, maranhense, pode ser considerado, atualmente, um dos mais completos poetas e cronistas do Brasil, haja vista a consciência plural e significativa de sua intuição cultural, fato que o faz passear entre musgos históricos gregos e o modernismo clariciano, espargindo o pensamento poético alemão, americano ou inglês, sem esquecer das taças saboreantes dos vinhos que enebriaram o cismar dos poetas franceses como BAUDELAIRE (Charles Baudelaire), MALLARMÉ (Stéphane Mallarmé), FRANÇOIS COPÉE (François Édouard Joaquim Copée) e MUSSET (Louis Alfred de Musset) – o poeta do amor. Como eu, o Maranhão e o Brasil também, creio, se orgulham de João Batista do Lago, uma das maiores expressões literárias do mundo moderno. Fato que, realmente não deixa a desejar se comparado a nenhum dos franceses acima citados”. Marconi Caldas Poeta, escritor e advogado São Luís – Maranhão – Brasil 2007

5 comentários:

  1. Vim te desejar um bom final de semana e um feliz dia da mães. Bjks

    ResponderExcluir
  2. HOMENAGEM BELA E QUE JOAO BATISTA DO LAGO MERECE!
    HOMENAGEM QUE ENGRANDECE HOMENAGEADO E HOMENAGEANTE!
    TENHO A HONRA E O GRATO PRAZER DE CHAMAR DE *AMIGO****** A ESSE POETA MAIOR DOS NOSSOS DIAS E QUE O SERA@ NOS DIAS VINDOUROS!
    TENHO AQUI EMMINHA CASA E BEM A MIHA MAO ESE LIVRO_*EU PESCADOR DE ILUSOES**********_ DESDE QUE ELE FOI DADO A ESTAMPA!
    FICO POIS MUITISSIMO FELIZ AO CHEGAR AQUI (VIM "ATRAS DE UM LINK!...)E DEPARAR COM ESTA BELISSIMA HOMENAGEM!
    DEIXO UM ABRACO AO *POETA****** E UMA SAUDACAO AMIGAVEL A DONA DA CASA_E... DA *HOMENAGEM******_!!!!!

    FELICIDADES PARA AMBOS E SUCESSOS!!!!!

    Heloisa B.P.
    .............

    ResponderExcluir
  3. João Batista do Lago, nunca tinha ouvido falar, mas gostei muito de ler sobre ele aqui, Rô!

    "A poesia lapida o diamante bruto. A poesia amolece o coração xucro. A poesia vê a beleza onde os olhos enxergam apenas mísera tristeza. A poesia desvela e revela a alma do povo em cada nova palavra como novo alvorecer. A poesia transforma o ser. A poesia briga. A poesia deblatera. A poesia chora. A poesia ri. A poesia ama e odeia e grita..."

    Lindo demais!!!!!

    Beijão querida, e que vc tenha um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  4. Oi Rô!

    Muito bom o post. Parabéns pela bela homenagem! Seu blog, como sempre, tão rico, com tantas informações! Adoro passar por aqui! :)

    Desculpe-me a ausência ultimamente, minha querida, mas saiba que nunca esqueço de vc e adoro receber suas visitas tão carinhosas lá em meu blog!

    Beijos e bom final de semana! Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  5. Rô, teu blog está lindo!!! Prendeu-me a atenção teu jeitinho alegre, dinâmico e inteligente!!! Vim ver a homenagem prestada ao João Batista do Lago, homenagem esta merecida, pelo grande poeta que ele é!!! Parabéns pelo blog e pela homenagem!!! Parabéns também para o homenageado!!!
    Grande abraço!!!
    Valderez.

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails