quarta-feira, 7 de maio de 2008

O amor torna-nos parecidos com Deus

O amor torna-nos parecido com Deus
“Quanto a nós, amamos, porque Ele nos amou primeiro” (1Jo 4,19).

Com efeito, como O amaríamos se Ele não nos tivesse amado por primeiro? Amando-O é que nós nos fizemos seus amigos. Mas foi a inimigos que Ele amou, para nos tornar Seus amigos. Ele nos amou primeiro e deu-nos a graça de O amarmos. Ainda não o amávamos. Amando-O, tornamo-nos belos.
O que pode fazer um homem feio e de rosto disforme, quando ama uma jovem formosa? Ou que pode fazer uma mulher feia, desgraciosa e sombria, quando ama um homem bonito? Acaso, amando-o, pode tornar-se bela? E ele, amando-a, pode tornar-se belo? Ele ama uma jovem formosa, e ao olhar-se no espelho, envergonha-se por elevar os olhos àquela beldade, à qual tanto ama. O que pode fazer para se tornar belo? Esperar que lhe chegasse a beleza? Se esperar muito, pode é chegar à velhice e a sua fealdade será maior ainda. Não há o que possa fazer. E não há como lhe dar conselho, senão o de se conter e não ousar amar assim alguém tão diferente de si próprio. Mas se ele insistir em amar e querer casar-se, que ame na sua esposa a castidade e não a beleza do rosto.
Ora, quanto à nossa alma, meus irmãos, ela era feia devido ao pecado. Amando a Deus torna-se bela. Que amor é esse que torna bela a alma que ama? Quanto a Deus Ele é sempre belo, nunca perde a Sua Beleza, nunca se encontra sujeito a mudanças. Ele amou-nos primeiro, Aquele que é sempre belo. E o que éramos nós, quando Ele nos amou, senão feios e disformes? Contudo Ele amou-nos, não para nos deixar na fealdade, mas para nos transformar. Da deformidade fez-nos passar à beleza. Assim, como nos tornarmos belos? Amando Aquele que é sempre belo. Quanto crescer em ti o amor, tanto crescerá a beleza, porque a caridade é a beleza da alma!“Quanto a nós, amemos porque Ele nos amou primeiro”.
Escuta o Apóstolo Paulo:
“Deus demonstra o Seu amor para conosco pelo fato de Cristo ter morrido por nós quando éramos ainda pecadores” (Rm 5,8), o Justo pelos injustos, o Belo pelos feios. Como sabemos que Jesus é belo? “És o mais belo dos filhos dos homens, tua graça está derramada em teus lábios” (Sl 44,3). De onde vem essa beleza? Escuta de novo de onde lhe vem a beleza: “És o mais belo de entre os filhos dos homens” porque “no princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (Jo 1,1). Ao assumir tua carne, Ele assumiu também, por assim dizer, tua fealdade, isto é, tua mortalidade. Isto para se acomodar a ti, harmonizar-se contigo e exercitar-te a amar a beleza que Ele guarda em seu interior.
Onde lemos que Jesus se fez feio e disforme, Ele que é belo, o mais belo dos filhos dos homens?Interroga o profeta Isaías:“Vimo-lo, não tem beleza, nem formosura” (Is 53,2). Eis aí duas flautas que parecem soar discordes. Contudo, um só Espírito as anima.
O salmista diz:
“És o mais belo de entre os filhos dos homens”
E Isaías:
“Vimo-lo e não tinha nem brilho nem beleza”.
É um só Espírito a soprar nas duas flautas, portanto não podem estar dissonantes. Não feches os ouvidos, aplica a inteligência. Interroguemos o Apóstolo Paulo, que ele nos explique a consonância das duas flautas. Que ele nos faça entender o som:
“És o mais belo entre os filhos dos homens”:
“Ele que tinha a condição divina e não considerou o ser igual a Deus como algo a que se apegar ciosamente” (Fl 2,6).
Eis em que Jesus possui “a mais bela forma entre os filhos dos homens”. Que ele nos faça entender agora o outro som:
“Nós o vimos e não tinha nem beleza nem esplendor”. “Ele esvaziou-se a si mesmo e assumiu a condição de servo, tomando a condição humana. E achado em figura de homem…” (Fl 2,7).
“Ele não tinha nem beleza nem esplendor” para te comunicar a beleza e o brilho.
Que beleza? A direção da caridade! Para que amando tu corras, e correndo, ames. Já tens essa beleza; mas não olhes a ti mesmo com complacência, para não perderes o que recebeste. Volta a olhar para Ele somente, a quem deves a tua beleza.
Sê belo no teu interior para que Deus te ame. Dirige a Ele todo o teu esforço. Corre em direção a Ele, procura os seus abraços, receia afastar-te d’ Ele, para estar em ti esse temor casto que permanece pelos séculos dos séculos.

“Quanto a nós, amemos, porque Ele nos amou primeiro”.

Santo Agostinho

Comentário da Primeira Epístola de S. João

2 comentários:

  1. Cheguei primeiro!
    Ola minha linda, tudo bem?
    Em primeiro lugar quero te agradecer pelo carinho de sempre ir me visitar, pelos mimos que voce me da, pela atençao...infelizmente nao tenho vindo aqui muitas vezes, e nem sempre leio tudo que você escreve...
    Bem seus poste tem sido longos pelos ultimos dias...e as vezes, ou sempre eu to correndo!
    Isso nao quer dizer que nao sejam interessantes, mas se voce resumir mais...facilitaria (nao mude por mim), eu so te digo isso poraue tudo aue voce escreve me interessa, mas... com trabalho, filhos, marido...cursos...hum, pra mim...tudo é corrido!
    Te deixo um carinho!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo este texto!!!!!!
    AMEI!!!

    Senti falta da minha vovó hoje!!!

    Beijão e boa noite, minha querida!!!

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails