quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

A origem da Palavra Sincera



A ORIGEM DA PALAVRA SINCERA



Sincera é uma palavra doce e confiável. Sincera é uma palavra que acolha
essa é uma palavra que deveria estar no vocabulário de toda alma.
Sincera foi uma palavra inventada pelos romanos.
Sincero vem do velho, do velhíssimo latim...
Eis a poética viagem que fez sincero de Roma até aqui:
Os romanos fabricavam certos vasos de uma cera especial.
Essa cera era, às vezes, tão pura e perfeita que os vasos se tornavam transparentes.
Em alguns casos, chegava,-se a se distinguir um objeto
um colar, uma pulseira ou um dado - que estivesse colocado no interior do vaso.
Para o vaso, assim fino e límpido, dizia o romano vaidoso:
- Como é lindo... parece até que não tem cera!
"Sine-cera" queria dizer:, "sem cera"
uma qualidade de vaso perfeito, finíssimo, delicado, que deixava ver através de suas paredes.
Da antiga cerâmica romana, o vocábulo passou a ter um significado muito mais elevado.
Sincero é aquele que é franco, leal, verdadeir
que não oculta, que não usa disfarces, malícia ou dissimulações.
O sincero, à semelhança do vaso, deixa ver, através de suas palavras, os nobres sentimentos de seu coração.

Malba Tahan

Quem foi Malba Tahan?
Com sinceridade já não me lembrava mais quem era. Então fui atrás para saber mais desse grande Escritor e Matemático e Brasileiro,lendo sua biografia na Wikipédia, descobri que já havia lido um dos mais conhecidos livros dele, O Homem que calculava. Faz tantos anos... eu ainda era muito jovem e devorava livros e mais livros, bons tempos aqueles....que saudades!!!

Júlio César de Melo e Sousa
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para:
navegação, pesquisa
Júlio César de Melo e Sousa
Nascimento
6 de maio de 1895Queluz, Brasil
Falecimento
18 de junho de 1974Recife, Brasil
Nacionalidade
brasileiro
Júlio César de Melo e Sousa (
Queluz, 6 de maio de 1895Recife, 18 de junho de 1974), mais conhecido pelo heterônimo de Malba Tahan (Ali Iezid Izz-Edim Ibn Salim Hank Malba Tahan), foi um escritor e matemático brasileiro. Através de seus romances foi um dos maiores divulgadores da matemática no Brasil.
Formado pela
Escola Nacional de Engenharia, lecionava Matemática no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Em 1947 funda as revistas de recreação matemática Al-Karisme e Damião. Além de obras didáticas, escreveu os romances O Homem que Calculava (1939) e O Livro de Aladim (1943).
Sua importância na história da literatura e da educação brasileira é incontestável tendo sido lido, aclamado e reconhecido por gerações inteiras. Em
1952, o presidente da República publicou um decreto oficial que permitiu ao cidadão Júlio César de Mello e Souza o uso legal do pseudônimo Malba Tahan.[1]
Sobre a obra de Malba Tahan, Monteiro Lobato disse que "...ficará a salvo das vassouradas do tempo como a melhor expressão do binômio ciência-imaginação".
Em
18 de setembro de 2004 foi fundado o Instituto Malba Tahan em Queluz, terra natal do escritor, no estado de São Paulo. O principal objetivo do instituto é fomentar e resgatar o legado do de Malba Tahan.
O dia 6 de maio, seu nascimento, foi decretado o Dia Nacional da Matemática.

Obras
Publicou ao longo de sua vida cerca de 120 livros sobre Matemática Recreativa, Didática da Matemática, História da Matemática e Literatura infanto-juvenil, atingindo tiragem de mais de 2 milhões de exemplares. Seu primeiro livro - Contos de Malba Tahan - foi publicado em 1925.
[2]
Aventuras do rei Baribê
A caixa do futuro
O céu de Alá
O homem que calculava
Lendas do Céu e da Terra
Lendas do deserto
Lendas do povo de Deus
Maktub!
Os melhores contos
Mil histórias sem fim (2 volumes)
Matemática divertida e curiosa (Editora Record)
O meu anel de sete pedras
Minha vida querida
Novas lendas orientais
Salim, o mágico
Acordaram-me de madrugada

7 comentários:

  1. Que sejamos sempre sinceros, conosco e com os outros.
    A paz!

    ResponderExcluir
  2. Rô, minha querida, sobre o comentário que vc fez em meu blog, de talvez ter ofendido alguém, eu gostaria de dizer aqui que eu gostei muito do seu post de ontem e não vi ali nenhum motivo para qualquer pessoa se sentir ofendida. Mas sei que sempre haverá quem discorde de nossas opiniões e isso é natural e compreensível. Especialmente no que diz respeito à religião. Acho que vc é uma pessoa muito correta e faz muito bem ao expor as suas opiniões, sempre tão sensatas, aqui no seu blog. Se vc ofendeu alguém tenho certeza que não foi essa a sua intenção.

    Sobre a sinceridade, acho que esta é uma das maiores virtudes que uma pessoa pode ter e vc deve continuar assim. Também sou muito sincera e sei que às vezes sou incompreendida por isso. Mas jamais deixarei de seguir os princípios que considero corretos somente para agradar determinadas pessoas, até porque não estaria sendo sincera comigo mesma e isso é fundamental, não é? O que está faltando no mundo é justamente mais sinceridade, as pessoas já se acostumaram com a hipocrisia, e acho que por isso que quando alguém é sincero demais acaba chocando...Infelizmente...

    Acho que muitas vezes as pessoas confundem sinceridade com grosseria. Uma coisa é ser sincero, verdadeiro, mas respeitando as opiniões e os sentimentos alheios, outra completamente diferente é agredir gratuitamente os outros. Isso não é sinceridade, é desrespeito. Temos que usar o bom-senso. Existe uma frase, do livro "Paulo e Estevão" (autoria de Emmanuel) que eu adoro e diz: "A melhor posição da vida é a do equilíbrio". Acho que se aplica bem nesse caso. Tudo tem seu limite. Bom, não sei se me fiz entender, acabei fazendo um pequeno desabafo aqui, mas tudo bem! Rsrs... Eu acho que vc deve continuar sendo do jeitinho que é, viu? Sempre muito verdadeira e com uma doçura que encanta a todos...

    Mil beijos! Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  3. Sincero é o carinho que tenho por você, minha doce Rô!!

    Hoje vc terá uma surpresa no meu blog e noutro sítio... espero que goste ;)

    Beijos com eterno carinho

    ResponderExcluir
  4. Ô minha amiga, muito obrigado pela visita e elogios, concordo com você, temos que ser coerentes e sinceros, principalmente conosco. que bom que tens um diretor espiritual, também tenho o meu, Padre Paulo, que me ajuda com minhas dúvidas e me leva a entender e amar, cada vez mais a nossa Igreja, santa e pecadora!
    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Sinceridade nos sentimentos e nas relações interpessoais.É só o que importa!
    Eu já li "O homem que calculava" e realmente é muito bom!

    Com toda sinceridade do meu coração, minha querida, adoro você!

    Grande beijo e um ótimo final de semana junto a sua família!
    Fiquem sempre com Deus!

    ResponderExcluir
  6. Rô,

    A homenagem que a Lu fez para vc ficou linda! Parabéns, vc merece! ;)

    Beijos e bom final de semana!...

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails