quinta-feira, 15 de março de 2012

Adélia Prado meu ícone...


 


“Tão Bom Aqui”, de Adelia Prado
Me escondo no porão para melhor aproveitar o dia e seu plantel de cigarras.
Entrei aqui…
… para rezar,
Agradecer a Deus este conforto gigante.
Meu corpo velho descansa regalado,
Tenho sono e posso dormir,
Tenhdo comida e bebido sem pagar.
O dia lá fora é quente,
A água brilha é fresca,
Acredito que sugestiono elétrons.
Eu só quero saber do microcosmo,
O de tanta realidade que nem há.
Na partícula visível da poeira
Em onda invisível danço a luz.
Ao cheiro de café minhas narinas vibram,
Alguém vai me chamar
Responderei amorosa,
Refeita de sono bom.
Fora quem alguém me ama,
Eu não sei de mim.
 
Quando perguntaram a Adélia sobre o amor...
“Amor para mim é exatamente isto. Ser capaz de permitir que aquele que eu amo exista como tal, como ele mesmo. E isto supõe mortes em mim. Se eu permito que o outro se expresse tal qual ele é, isso é o mais pleno amor. Dar liberdade dele existir do meu lado como ele é. Este é o tal amor incondicional. Isto é muito difícil, porém a experiência é interessante demais – os erros e os acertos. Amor é muito interessante, é o embate. Pode sofrer de tudo menos de tédio porque não há como ter tédio. Amor é muito divertido, é muito complicado”. 
Adélia Prado


Beijos meus, cheios de ...
luz, paz, amor fé e esperança!


Um comentário:

  1. Fiquei aqui pensando que eu nunca vi uma foto da Adélia. Este rosto tão bonito é dela? Meus ícones: 1º = Cecília Meireles
    2º = Clarice Lispector
    3º Adélia Prado
    Os textos escolhidos com carinho e paciência só podiam vir de vc, né? Obrigada pela partilha e pela sua presença nos meus blogues, viu? Grande abraço!

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails