terça-feira, 27 de abril de 2010

"AINDA HÁ ESPERANÇA SE TIVERMOS CONSCIÊNCIA"

Há dois anos e meio atrás, mais precisamente no dia 11 de Novembro de 2008, perdemos um querido sobrinho, filho caçula de meu cunhado, irmão do meu esposo.
Voltava ele de uma balada em cidade próxima a Rio Verde GO, dirigindo uma Montana. Bateu de frente a uma carreta carregada de areia. O carro foi cortado ao meio e seu corpo literalmente também. Da cintura para baixo ficou entre as ferragens, e da cintura para cima foi lançado à estrada. Os restos de seu corpo foram localizados a  metros de distância. As fotos do trágico acidente foram colocadas na Internet e rolaram por aí, até o dia que minha cunhada abril um e-mail e deu de cara com o corpo do filho no asfalto (ou o que sobrou dele). Até então ela não sabia o que tinha acontecido. Só sabia que o caixão não poderia ser aberto, pois seu rostinho estava muito desfigurado e meu cunhado lhe disse que seria melhor assim.
Essa mãe chora até os dias de hoje. Não entende como isso pode acontecer. Meu cunhado ainda não teve tempo para chorar a morte do filho, pois cuida dia e noite de sua esposa. O filho mais velho cuida dos dois, abdicando de sua própria vida. O sobrinho que se foi, nem por um minuto pensou em sua família. Bebia e se achava o mais ao dirigir. Na perícia foi constatado que ao bater ele estava há mais de 150hm/hora. O nível de álcool, altíssimo. Só não acabou com a vida do motorista e de sua esposa, que também estava na carreta por milagre.
 Ao assistir esse vídeo senti a dor dessas famílias, que perdem seus jovens filhos. A dor dessas esposas que imploram aos seus esposos para não beberem. A dor da destruição dessas famílias que demoram anos e anos para tentar se refazer. Senti por que também passamos por tudo isso e doí demais.
E colocamos a culpa apenas no governo. A culpa é nossa que deveríamos ter mais consciência, antes de fazermos qualquer coisa nessa vida e digo em todos os seguimentos, todos.


A frase abaixo foi recebida por e-mail e tomei consciência em aqui no meu espaço dividir com você a nossa responsabilidade.



Ainda há esperança se tivermos consciência.
Eu acredito em você, meu querido amigo!
Assista o vídeo, com atenção e repasse a todos os seus amigos:



 
 




FEBRE DO VAZIO...
resomar


Preciso da lágrima que desponta no passo grisalho,
na despedida desencontrada e secreta de sensações entrelaçadas...
Toco na inutilidade de palavras deixando escorrer riscos e um suor condenado,
estranho sentimento secretamente imerso no abandono exausto da solidão...

Preciso do silêncio úmido e enigmático a rasgar tuas aflições eternizadas,
abraçadas no soluço em travessias precipitadas...
Sinto no olhar a febre do vazio,
o frio da alma rompendo teus lábios amargos,
mãos sangrando no apelo inflamado em teu corpo sonolento...

Preciso da esperança a questionar o caminho e o abrigo de tuas fugas,
a paisagem desbotada e todas as linhas ocupadas...
Carrego tuas contradições e a ternura em convulsão...
Dispenso a emoção velada em harpas trôpegas...
Contemplo no chão teus passos recuados,
agonias, lutas e o desafio desarmado...

Preciso partir para enxugar o orvalho da saudade,
esquecer a cicatriz do beijo aprisionado,
juntar as pétalas e sobrevoar na dor que nos invade...

fonte e imagem aqui



Bom dia para você!
Rosane!

5 comentários:

  1. Oi, vó Rô!

    Eu recebi este vídeo por e-mail. Dá uma dor no coração ao vê-lo, imagina a família que fica como sofre. Pior ainda quando é da nossa.
    Sinto muito o acontecido com a tua. Que Deus dâ força aos teus cunhados.
    Bjim.

    ResponderExcluir
  2. Poxa, vó Rô que história comovente.
    Mas, ainda bem que há esperança em dias melhores.
    Hoje, seu texto valeu pra mim.
    Bjks no coração.

    ResponderExcluir
  3. "Chocante" essa história.

    É, Rô, muita gente culpa o governo, mas não toma as próprias atitudes.

    Esse garoto sofreu muito, mas se ele não tivesse uma vida desregrada, se não bebesse, nem corresse na estrada, com certeza não teria sofrido esse "esquartejamento".

    Daí, sofre pai, mãe, irmão, tios...

    Beijão, Rô.

    P.S: "Você é uma pessoa muito legal. Já falei isso?"

    ResponderExcluir
  4. Oi Ro, que triste querida...mas peço à Deus que um dia console o coração dessa mãe....
    beijinhos
    So

    ResponderExcluir
  5. É muita tristeza, não sei se há como reparar uma situação dessa. Por isso sou terminantemente contra o álcool. Marido e eu gostamos muito de viajar de carro, mas sempre me preocupo com o que os outros são capazes de fazer e normalmente acabo optando por andar de avião. Sinto-me mais segura. Beijocas!

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails