sábado, 30 de janeiro de 2010

"PAZ" - TRECHO DO LIVRO PAUL FERRINI -

Esta pombinha da Paz viaja de blog em blog, leve-a para o seu!
Recebi por e-mail e compartilho com você que todos os dias por aqui passa.

Segue texto de Paul Ferrini tirado de seu livro: De Volta ao Jardim


Paz

À medida que paramos de encontrar falhas em nossa experiência e
começamos a aceitá-la e trabalharmos com ela, encontramos que estamos
conseguindo exatamente o que precisamos. Aprendemos a ver além das
aparências.

Quanto mais aceitamos a vida e nos entregamos a ela, mais harmônica
sentimos nossa experiência. E encontramos uma facilidade crescente para
induzir uma atitude positiva a ela. Isto resulta em menos luta e maior
felicidade.

Da minha maneira, eu descobri o princípio do “pensamento é criativo”. A
maneira como olho a qualquer coisa, influencia o modo que eu a experimento e
o que eu atraio para mim no futuro. Se paro de resistir e lutar, a vida fica
mais fácil. Eventos que apóiam a minha vida começam a ocorrer naturalmente.
Eu não tenho que tentar fazê-los acontecer.

Por aceitar e cooperar com o que é, começo a experienciar o meu próprio
poder criativo. Eu começo a pensar, a querer, a criar “com Deus”, ao invés
de separado Dele.

Eu assumo responsabilidade por minha própria felicidade, momento a
momento, e paro de buscá-la fora de mim. Isto muda minha experiência. Eu
vou do buscar no externo, para o encontrar dentro. E quando eu encontro
dentro, eu vejo aquilo espelhado em minha vida.

A verdade é que eu posso mudar minha experiência. Mas, isto começa com
uma mudança na minha própria percepção. Portanto, nunca pode ser mecânica.
Meu coração tem que estar nisso, ou não terei poder para mudar qualquer
condição externa em minha vida. O trabalho interior sempre vem antes.

A lei da graça opera de dentro para fora. À medida que as mudanças
acontecem na maneira que eu assumo minha experiência, ela começa a mudar.

Quando paramos de tentar mudar nossa experiência e a aceitamos, a
fluência de graça começa. A aceitação diz a Deus: “Eu aceito a realidade que
se apresenta, mesmo quando ela aparenta ser assustadora ou escura. Eu me
abro à sabedoria interior que ela me brinda. Eu abro a mim mesmo ao
aprofundamento da minha capacidade de amar e cuidar.”

Eu não afasto minha experiência apenas porque ela se mostra de uma
maneira diferente daquela que eu esperava. Quando ela se mostra dessa
maneira, eu respiro profundamente, abandono minhas expectativas, e tento
abraçar o que está acontecendo. Eu sei que meu trabalho é abraçar tudo que
acontece comigo. E quanto mais difícil for para mim abraçar algo, mais
profundamente eu aprenderei com isso.

Eu aprendo a parar de resistir e a entregar-me à vida. Eu paro de
desconfiar e começo a confiar. Fazendo isso, eu mudo minha consciência. E, à
medida que minha consciência muda, também muda a realidade externa que a
reflete.

Eu nunca sei como a realidade externa mudará.Tenho que continuar
entregando minhas exigências e expectativas. Este é um processo perpétuo. A
entrega não acontece apenas uma ou duas vezes. Acontece continuamente, dia a
dia, hora a hora, momento a momento.

O externo se alinha com o interno. Esta é uma lei espiritual. É a lei da
graça.

Mas ela não pode ser medida. Não pode ser descrita precisamente. Não
pode transformar-se em uma tecnologia de transformação.

Consciência é poesia em movimento. É uma dança da forma, incorporada por
um momento e então, vazia novamente. Ela nasce, muda a forma, desaparece e
reaparece. É divertida, espontânea e sempre nova. Você precisa estar no
momento para vê-la ou apreciá-la. Não tem nada que ver com o passado ou o
futuro.

Compreender qual é a nossa responsabilidade na vida é o convite à dança.
O resto é prática: a dança em si mesmo...dançar com o ser, com o outro, com
a vida desabrochando e com o Deus que vive em nosso coração e na nossa
mente.

reprodução


Que dia se abra como uma janela e você esteja sempre com a Paz do Senhor!
Beijos de bom fim de semana para você!
Rosane!





4 comentários:

  1. Agora que passei por aqui ja me sinto muito mais reviforada e confiante de que existe sim muitas pessoas com o coração cheio de amor pelo proximo,e o que precisamos....de amor....
    Beijos
    Minha querida Rô.
    Deusa

    ResponderExcluir
  2. Eu assumo responsabilidade por minha própria felicidade, momento a
    momento, e paro de buscá-la fora de mim.

    Lindas palavras

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Querida Rô, muito bonito esse texto. É bom ler essas coisas e depois fazermos uma reflexão para nossa vida. Tenha um ótimo domingo. Bjks
    Ro

    ResponderExcluir
  4. oi Rô amiga! tão bom ler o que tu escreve - adorei este texto - quem sabe hoje domingo eu possa tentar tudo que aí está escrito - deixar a vida entrar em mim e ser eu mesma sempre-
    bjs
    bom domingo

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails