domingo, 6 de setembro de 2009

Não resisti...

Não resiste e preciso deixar registrado aqui no Blog.
Hoje após o almoço fomos dar aquela deitadinha básica de domingo.
Ligamos a TV, eu e maridão e como sempre vamos ver os gols da rodada na Band News. Claro por que domingo e dia da bola rolar solto pelo mundo a fora, ou seja tá rolando a semana toda. Haja campeonato, haja paciência...
Terminado as notícias do esporte a apresentadora do jornal divulgou a notícia mais hilária dos últimos tempos pra mim.
Diz a apresentadora::..
- Noiva tem um ataque de risos durante o culto da cerimonia de seu casamento!

Vejam o vídeo::..




Da Redação

esquisito@eband.com.br

O casamento de Andrew e Melissa Engstrom já foi visto por mais de 28 mil pessoas desde que foi colocado no site de vídeos YouTube depois que noiva teve um ataque de risos em pleno altar, nos Estados Unidos.

Tudo começou quando, nervoso, o noivo errou uma palavra na hora do juramento. Quando dizia “juntos na alegria e na tristeza ...", ele trocou "lawfully wife" (legítima esposa) por "waffully wife". A palavra não existe, mas ficou parecida com "feita de waffles".

Para tentar disfarçar o erro, Andrew ainda emendou a palavra “pancakes” (paquecas, em português). Pronto. Foi o suficiente para a noiva Melissa cair na gargalhada.

A situação chegou a tal ponto que até o pastor brincou e disse que iria fazer um intervalo durante o casamento, porque aquilo estava parecendo pegadinha de televisão.

fonte aqui

Meu Deus...!!!, meu filho mais velho está para se casar em Janeiro do ano que vem e ele é super tímido. Já imaginou se me acontece uma fato igual esse?

Eu é que vou ter um ataque de risos. Atrapalhada do jeito que sou e chorona...nem sei o que vai ser!!!


Mas brincadeiras a parte separei um bom texto para ler e refletir nesse feriadão prolongado de 7 de Setembro


TODO CASAL DEVERIA LER
(Arthur da Tavola)

Por mais que o poder e o dinheiro tenham conquistado uma ótima posição no ranking das virtudes, o amor ainda lidera com folga.

Tudo o que todos querem é amar. Encontrar alguém que faça bater forte o coração e justifique loucuras. Que nos faça entrar em transe, cair de quatro, babar na gravata. Que nos faça revirar os olhos, rir à toa, cantarolar dentro de um ônibus lotado. Tem algum médico aí??


Depois que acaba esta paixão retumbante, sobra o que? O amor. Mas não o amor mistificado, que muitos julgam ter o poder de fazer levitar. O que sobra é o amor que todos conhecemos, o sentimento que temos por mãe, pai, irmão, filho. É tudo o mesmo amor, só que entre amantes existe sexo.

Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja. O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus. A diferença é que, como entre casados não há laços de sangue, a sedução tem que ser ininterrupta. Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna. Casaram. Te amo prá lá, te amo prá cá. Lindo, mas insustentável. O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas.

Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes nem necessita de um amor tão intenso.

É preciso que haja, antes de mais nada, respeito. Agressões zero.
Disposição para ouvir argumentos alheios.
Alguma paciência. Amor, só, não basta.
Não pode haver competição. Nem comparações.
Tem que ter jogo de cintura para acatar regras que não foram previamente combinadas.
Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades.
Tem que saber levar. Amar, só, é pouco.
Tem que haver inteligência.
Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas pra pagar.
Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar.
Tem que ter um bom psiquiatra.
Não adianta, apenas, amar.
Entre casais que se unem visando a longevidade do matrimônio tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um.
Tem que haver confiança.
Uma certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou.
É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão. E que amar, "solamente", não basta.
Entre homens e mulheres que acham que o amor é só poesia, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado. O amor é grande mas não é dois.

É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

Um bom Amor aos que já têm!
Um bom encontro aos que procuram!
E felicidades a todos nós!!


Beijos e beijos pra você!
Rosane!

9 comentários:

  1. Rosane,

    Obrigada pelo recadinho tão gentil na Itinerante. Vim retribuir a visita e aproveitei para conhecer seu blog. Adorável. Vou segui-la também e linkar para não nos perdermos mais e assim que terminar a bagunça da mudança de template voltarei para ler mais.

    Eu vi este vídeo. É muito engraçado. kkk

    Beijos e bom feriado

    ResponderExcluir
  2. Muito bom,imagino a situação e ainda bem que ela nem disfarçou...Começou bem feliz esse casamento!beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Olá ,de Rô para Rô

    Muito legal o texto do Artur da Tavola
    Realmente ,tem pessoas que acham que casamento é fusão e esquecem sobretudo que somos seres individuais ,cabe a cada um respeitar o espaço do outro, e tolerância sem esse ítem não há casamento que resista.E investir muito na união se ainda há amor..

    beijos no coração e ótimo feriado!!
    sua quase xará :Rosana

    ResponderExcluir
  4. Ro, acho que de tanto nervosismo se rir dessa maneira; veja o teu filho...

    O texto é muito bonito e sempre propício.

    Uma linda semana pra você.

    ResponderExcluir
  5. Casamentos...
    Quando meu filho casou os dois haviam decorado o juramento composto de apenas três ou quatro frases.Não conseguiram falar.Tive que assoprar baixinho pra eles repetirem.
    Bem, espero que com o passar do tempo este juramento não seja esquecido.
    É verdade, o amor ainda lidera tudo nesta vida.

    Beijão Rô e bom domingo.
    E haja paciência pra tanto campeonato né não?Mas é gostoso passar os domingos vendo gols na tv.

    ResponderExcluir
  6. Rô, será que a crise de risos não foi uma reação ao nervosismo dela? Tem gente que quando fica narvosa, gargalha que só!

    Abraços!

    (Gostei do seu blog, estou seguindo você)

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Obrigada por me linkar, retribui a gentileza!

    Amei o vídeo, divertidíssimo! Uma amiga minha recentemente casou o filho, ela estava tão nervosa, ansiosa, mas deu tudo certo e não teve ataque de riso no altar, rsrsrs. bjs, bom feriado.

    ResponderExcluir
  8. ahahahahaha, o vídeo é realmente engraçado, imagina o constrangimento da noiva sem conseguir controlar o riso!!!

    E o texto do Arthur da Tavola não poderia ser mais perfeito!
    Belo post, Rô querida do meu coração!!!

    Beijão

    ResponderExcluir
  9. Muito esquisito e engraçado kkkk.
    Coitada rs. E o texto é 10!!!

    ResponderExcluir

"Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar,
Coragem para modificar aquelas que podemos,
E sabedoria para distinguir umas das outras".

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails